PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dirigente diz que só papa e bandeira valem mais que a seleção italiana

Carlo Tavecchio exaltou a importância da seleção italiana como símbolo do país - ALESSANDRO BIANCHI / REUTERS
Carlo Tavecchio exaltou a importância da seleção italiana como símbolo do país Imagem: ALESSANDRO BIANCHI / REUTERS

Da EFE, em Roma

24/05/2016 17h04

O presidente da Federação Italiana de Futebol, Carlo Tavecchio, afirmou nesta terça-feira que a seleção tetracampeã mundial é a marca mais importante do país depois do papa e da bandeira e que cada jogo da 'Azzurra' gera 3 milhões de euros (R$ 11,8 milhões).

As declarações foram dadas na Câmara dos Deputados da Itália, em que foi realizado um evento para analisar dados econômicos relativos ao futebol, e em que foi destacada a necessidade de "reformular o sistema", por causa dos prejuízos recentes das principais instituições.

"A seleção é, depois do papa e da bandeira, a marca mais importante do país. Com cada partida da equipe principal, ganhamos 3 milhões de euros. Que outras receitas teríamos sem a seleção?", disse Tavecchio.

O presidente da federação também destacou que é importante começar processo de redução de despesas pelos clubes dos país e que isso precisa ser feito com apoio da liga que organiza o campeonato do país, com redução do número de clubes profissionais.

"O Campeonato Alemão é uma referência. Não se podem gerar, unicamente, dívidas. É preciso criar orçamentos para fazer as reformas que são necessárias", disse o dirigente.

Tavecchio ainda lamentou o novo escândalo policial envolvendo apostas e manipulações de resultados envolvendo clubes da segunda divisão do país, que levaram dez pessoas para a prisão.

"O que soube sobre isso me decepcionou. Nós já tomamos medidas contra jogadores e clubes há mais de um ano. Todos receberam avisos, mas não podemos entrar na cabeça das pessoas", afirmou o presidente da federação.

Esporte