PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cristiano Ronaldo desdenha da amizade do trio de atacantes do Barcelona

16/02/2016 16h54

Roma, 16 fev (EFE).- O atacante português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, garantiu nesta terça-feira que não precisa ser amigo de qualquer companheiro de equipe, para que os resultados sejam conquistados em uma temporada.

"No Manchester (United), ganhei a 'Champions' e não falava com Scholes, Giggs, nem com Ferdinand. Chegávamos dentro do campo, tínhamos um time fantástico, mas só nos dávamos bom dia", afirmou o camisa 7, em entrevista coletiva concedida em Roma, na véspera de jogo, justamente, da Liga dos Campeões da Europa.

A afirmação foi uma resposta a pergunta de jornalista sobre se havia mais amizade no chamado trio "MSN", formado por Lionel Messi, Luis Suárez e Neymar, ou no "BBC", que ele compõe junto com Gareth Bale e Karim Benzema.

"Não tenho que jantar com Benzema ou Bale em minha casa. O mais importante é dentro do campo, que sejamos bons companheiros, sabendo como jogamos. Os jantares fora, os abracinhos e beijinhos, não valem de nada. O importante é fazer o time ganhar", garantiu o português.

Sobre o pênalti cobrado por Lionel Messi, que virou assistência para gol de Suárez na goleada sobre o Celta de Vigo por 6 a 1, pelo Campeonato Espanhol, CR7 foi enigmático.

"Eu sei porque Leo fez isso, mas não vou te dizer. Pense o que quiser", disparou.

A imprensa espanhol tem apontado o holandês Johan Cruyff, que se recupera de um câncer no pulmão como "homenageado" no lance, já que fez algo semelhante em partida do Ajax, pelo Campeonato Holandês, em 1982.

Esporte