Corinthians enfrenta o São Paulo com seis desfalques e Raniele pede apoio dos torcedores

O Corinthians realizou neste sábado o último treino de preparação para o clássico com o São Paulo, marcado para este domingo, às 16h, na Neo Química Arena, pela nona rodada do Brasileirão. O técnico António Oliveira não poderá contar com seis jogadores, entre lesionados, suspensos e convocados, e terá que se adaptar aos problemas para buscar a reabilitação no torneio e conquistar a primeira vitória em clássico no ano.

Para este desafio, o treinador não contará com o zagueiro Gustavo Henrique e com o meia Rodrigo Garro. Ambos cumprem suspensão automática por expulsão e terceiro amarelo, respectivamente, recebidos na última rodada. O zagueiro Félix Torres e o atacante Romero estão com as seleções do Equador e Paraguai para a disputa da Copa América. O lateral-direito Fagner (lesão no músculo posterior da coxa direita) e o atacante Pedro Henrique (lesão no músculo posterior da coxa esquerda) continuam em tratamento médico.

Neste sábado, no Centro de Treinamento Dr. Joaquim Grava, os jogadores fizeram exercícios na academia e um aquecimento no gramado, antes do técnico António Oliveira comandar uma atividade tática de enfrentamento. Jogadas de bola parada ofensiva e defensiva também foram realizadas no campo. O atacante Gui Negão, da categoria sub-17, completou o treinamento com o elenco principal.

Com isso, a expectativa é que o treinador coloque em campo um time formado por: Carlos Miguel; Matheuzinho, Cacá, Caetano e Hugo; Raniele, Gabriel Moscardo (Breno Bidon) e Igor Coronado; Gustavo Mosquito, Yuri Alberto e Wesley.

O Corinthians vem de quatro jogos sem vitória no Brasileirão e soma apenas seis pontos, muito próximo da zona de rebaixamento. Concentrado no clássico, o volante Raniele quer a equipe impondo o ritmo de jogo desde os primeiros minutos para conquistar a reabilitação.

"Faremos o que a gente tenta fazer sempre: se impor dentro da nossa casa, tentar trazer o torcedor com a gente. Tentar fazer com que o torcedor nos carregue. Com certeza, dentro da nossa casa, com o apoio da nossa torcida, a gente se torna mais forte. Espero impor esse ritmo desde o começo", disse o volante.