PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Paulo Guedes diz que árabes querem comprar dois clubes brasileiros

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

19/11/2021 09h30

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na última quinta-feira (18) que um grupo dos Emirados Árabes Unidos teria anunciado a autoridades brasileiras que estaria "examinando" a aquisição de dois clubes de futebol do Brasil. Guedes esteve na comitiva do presidente Jair Bolsonaro que também visitou o Catar e o Bahrein.

Durante um discurso, o ministro afirmou que na viagem a comitiva recebeu "uma pista, uma insinuação" de que investidores árabes estariam dispostos a aportar mais 10 milhões de dólares no Brasil. "Vão investir em estradas, campos de petróleo e até em clubes de futebol", anunciou o ministro.

Em seguida Paulo Guedes se confundiu ao falar do Manchester United, clube inglês que nunca pertenceu a árabes —mas sim a estadunidenses. Guedes talvez quisesse se referir ao Manchester City e ao dono Mansour Bin Zayed Al Nahyan, ou talvez à recente compra do Newcastle pelo príncipe saudita Mohammed bin Salman.

"Eles compraram o Manchester United, levaram o Cristiano Ronaldo", começou Guedes, equivocadamente. "Então pensei 'vem ser sócio do Flamengo'. E aí um vascaíno falou 'não, vem para o Vasco'. Eu falei que [se for para o Vasco] vai perder dinheiro. E tinha outro palmeirense que falou para comprar o Palmeiras. Eles anunciaram que vão comprar dois times, estão examinando. Então eles vêm", disse Guedes.

A aquisição de clubes brasileiros por grupos econômicos só se tornou possível há poucas semanas, quando o Congresso Nacional aprovou a lei da Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Cada negócio pode ter suas especificidades, mas em todos os casos o comprador ficaria vetado, por exemplo, de vender patrimônio do clube ou mudar suas cores e escudo.

Futebol