Francis Ngannou prevê "sentimento diferente" em caso de nocaute sobre Tyson Fury

Durante uma década como lutador profissional de MMA, Francis Ngannou construiu uma reputação de ter uma das mãos mais pesadas da modalidade. Agora, às vésperas de estrear no boxe, o camaronês torce para que seu poder de nocaute lhe dê sua primeira vitória na nova modalidade, diante do campeão mundial Tyson Fury, no sábado (28), na Arábia Saudita - uma experiência que, caso se confirme, o próprio ex-lutador do UFC não consegue descrever.

Azarão nas bolsas de apostas para o duelo contra Fury, o ex-campeão peso-pesado do UFC tem na potência dos golpes sua maior arma diante de um adversário muito mais experiente no boxe. Por isso, caso surpreenda o mundo das lutas no sábado com um triunfo sobre 'The Gypsy King', Ngannou acredita que o sentimento será completamente diferente de qualquer outro momento vivido por ele anteriormente em sua carreira.

"Eu acho que seria único. Isso seria um sentimento diferente. Normalmente eu consigo antecipar como seria a sensação de ter um nocaute, porque eu conheço aqueles. Mas esse é bem diferente. Eu não sei como vai se sentir, mas eu sei que vai ser muito diferente", declarou Ngannou, em entrevista ao site 'MMA Junkie'.

Poder de nocaute reconhecido

Em desvantagem técnica e de experiência na modalidade, Francis Ngannou sobe no ringue de boxe neste sábado para encarar Tyson Fury, dono do título mundial peso-pesado do Conselho Mundial de Boxe (WBC), na Arábia Saudita. No seu corner, o camaronês terá o auxílio do lendário pugilista Mike Tyson, que vem treinando o ex-UFC e aposta que um golpe conectado pode resolver o embate a seu favor.

O próprio adversário do africano também reconhece o poder de fogo que 'The Predator' possui nas mãos e, inclusive, o classificou como mais perigoso que outro rival de respeito na nobre arte: o campeão mundial ucraniano Oleksandr Usyk. No MMA, Ngannou conquistou 12 de suas 17 vitórias por nocaute.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes