PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Glover admite vacilo contra Prochazka e cutuca algoz por revanche imediata

Glover Teixeira e Jiri Prochazka antes do UFC 275 - Yong Teck Lim/Getty Images
Glover Teixeira e Jiri Prochazka antes do UFC 275 Imagem: Yong Teck Lim/Getty Images

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

19/06/2022 09h40

Glover Teixeira ainda não tirou da cabeça o duelo diante de Jiri Prochazka, no UFC 275, quando perdeu o cinturão dos meio-pesados (93 kg) do Ultimate. Em aproximadamente 24 minutos e 30 segundos de luta, o brasileiro estava em vantagem, venceria o embate e manteria a sua coroa na divisão, mas na reta final do último assalto, foi surpreendido e finalizado pelo adversário. Sendo assim, a reportagem da Ag. Fight entrou em contato com o brasileiro para saber dele a sua visão do confronto e o lutador fez um desabafo.

Em entrevista exclusiva (clique aqui), o atleta natural de Sobrália (MG) lamentou o fato de ter ficado tão perto da vitória e tê-la deixado escapar por um descuido no momento da luta no solo, mas negou arrependimento de ter ido buscar a finalização. Vale recordar que no último round, Glover acertou uma sequência de golpes que balançou o adversário. Neste momento, o veterano tentou levar a luta para o chão e, nesta área, acabou sendo finalizado por Prochazka faltando cerca de 30 segundos para o fim da disputa.

"É frustrante, cara. Perder a luta no último minuto é sempre frustrante, mas ao mesmo tempo estou tranquilo, porque a estratégia que tracei estava dando certo até o momento do vacilo e a repercussão da luta (foi boa) também. Temos que ver o lado positivo, porque se pensar por esse lado fica desesperado, faltando 30 segundos para continuar sendo campeão dar esse vacilo é f**a. Mas não fiquei arrependido de ter ido buscar acabar com a luta. Eu estava confiante que estava ganhando, porque fiquei mais tempo por cima, na montada, com vários ataques. Posso estar ganhando os cinco rounds e não vou ficar rodando em volta do octógono. Vou para acabar a luta", afirmou.

A postura de Glover no final da luta também foi algo bastante debatido pelo público. Quando o brasileiro acertou duros socos em Prochazka e esteve perto de nocautear, tentou uma guilhotina e perdeu a posição. Sendo assim, o mineiro explicou o motivo de ter tentado finalizar ao invés de seguir seus ataques em pé.

"A estratégia foi traçada para fazer no chão. Acertei uns golpes, ele deu uma bambeada e o pescoço encaixou debaixo. Não tinha nem jeito. Do jeito que o pescoço dele caiu... Eu não busquei a guilhotina. Se eu empurro ele e continuo dando porrada e não nocauteou, ia ficar pensando naquela guilhotina. Puxei e não deu. Foram tentativas para finalizar a luta. Não é algo que não faço. Peguei vários na guilhotina", explicou.

O combate entre Glover e Prochazka chamou a atenção do mundo do MMA, pelos dois terem protagonizado uma verdadeira batalha em cima do octógono em um embate cheio de reviravoltas. Por isso, o brasileiro já iniciou uma campanha para receber uma revanche imediata pelo título da divisão e justificou seu pedido. Além disso, o lutador aproveitou para dar uma cutucada no seu algoz pelas suas recentes declarações.

"Eu pedi a revanche pelo jeito que a luta foi, como a galera gostaria de ver a luta de novo, como eu gostaria por causa do vacilo (que cometi) e acredito que ele também, pois estava falando da performance (dele), que não foi boa. Ele tem que dar o mérito ao cara que estava batendo nele. Ele fica falando da próxima vez ele vai vir melhor, então vem, mas com o mesmo cara. Fácil falar e vai lutar com (Jan) Blachowicz, ai nocauteia e vai falar. Vamos fazer de novo para mudar essa performance e provar para o mundo e para mim. Eu estou aqui. Se ele finalizar de novo, eu vou falar: 'Puxa, ele me finalizou duas vezes e é melhor que eu'. Mas o que eu acredito que não vai acontecer, por isso que quero essa revanche. Agora ele sabe com quem vai lutar e é brabo", completou.

Aos 42 anos, Glover Teixeira fez história ao se tornar o lutador mais velho a conquistar um título do UFC pela primeira vez, ao destronar Jan Blachowicz e se sagrar campeão dos meio-pesados, em outubro do ano passado. Até ser superado por Prochazka, o brasileiro estava em uma série de seis vitórias, sua melhor marca no Ultimate em dez anos de companhia. No MMA profissional, o mineiro agora soma 33 triunfos e oito reveses.

MMA