PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Marina Rodriguez defende posto de desafiante e dá recado para 'furadoras de fila'

Ag. Fight

18/05/2022 07h00

No último dia 7 de maio, Carla Esparza recuperou o cinturão do peso-palha (52 kg) do Ultimate ao derrotar Rose Namajunas por decisão dividida dos jurados - combate que atraía a atenção de muita gente, principalmente de Marina Rodriguez. Atualmente, a brasileira é a número três do ranking da divisão e apontada como uma das favoritas para disputar o título. Por isso, a atleta não perdeu tempo para cravar seu nome na briga pelo title shot.

Logo após a luta que foi realizada no UFC 274, a gaúcha utilizou suas redes sociais para reforçar seu posto de desafiante e repetiu o discurso em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (clique aqui). A brasileira destacou seu momento na categoria para corroborar a tese de que merece disputar o cinturão em uma revanche diante de Esparza - a americana é única atleta que já venceu Marina no MMA.

"Hoje eu sou a atleta com mais vitórias consecutivas dentro da categoria, venho de quatro vitórias, querendo ou não, rivais top 5, mais bem ranqueadas e famosas dentro da divisão. É a minha chance de disputar o cinturão. As outras meninas que também estão querendo já tiveram as chances delas ou vem de derrota ou no máximo uma vitória. A categoria precisa andar, se movimentar para dar a chance para outras que buscam esse objetivo. Estou na ponta pelo cinturão e é só me chamarem", afirmou.

Desde que chegou ao Ultimate, em 2018, Marina sempre adotou um discurso mais ameno, rechaçando um possível 'trash talk' para ganhar mais visibilidade na companhia. Agora, mais perto de uma possível chance pelo título, a situação é diferente, mas a lutadora não pretende mudar de postura. No entanto, a única coisa que a gaúcha fez questão de elevar o tom foi sobre uma possível 'furada de fila' de adversárias da divisão.

"A Joanna (Jedrzejczyk), querendo ou não, está há dois anos parada e temos que ver o desempenho dela nessa próxima luta. A Jéssica ('Bate-Estaca'), nem queria falar, porque somos da mesma agência e creio que ela se equivocou ali. Ela já teve duas chances pelo cinturão e está na hora da outra aleta da agência ter uma chance pelo cinturão. Todo mundo pode falar o que quer, mas às vezes não é tão benéfico para o atleta. Para os negócios é vantajoso que tenha a minha chance e, depois conquistando ou não o cinturão, aí ela pode tentar conquistar o dela. Pela lógica é a minha vez agora", concluiu.

No MMA profissional desde 2015, Marina Rodriguez possui 14 vitórias, uma derrota e dois empates em seu cartel. No UFC desde 2018, a lutadora disputou oito combates, venceu cinco, empatou dois e perdeu apenas um. A última apresentação da competidora aconteceu em outubro deste ano, quando venceu Mackenzie Dern, por decisão unânime.

Esporte