PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Deiveson Figueiredo destaca arma que 'destruiu' jogo de Moreno no UFC 270

Deiveson Figueiredo vence Brandon Moreno e recupera título peso-mosca do UFC - Reprodução/UFC
Deiveson Figueiredo vence Brandon Moreno e recupera título peso-mosca do UFC Imagem: Reprodução/UFC

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

28/01/2022 06h00

No fim de 2021, Deiveson Figueiredo decidiu se mudar, morar nos Estados Unidos e treinar em uma nova equipe para sair da zona de conforto de olho na recuperação do título do Ultimate. A prova de fogo aconteceu no último sábado (22) e o brasileiro mostrou que sua atitude foi a mais correta. O 'Deus da Guerra' fez uma atuação impecável e derrotou Brandon Moreno, em duelo no UFC 270, para se tornar novamente campeão do peso-mosca (57 kg) da maior companhia de MMA do mundo.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (clique aqui), Deiveson fez questão de dividir os méritos da vitória com mais duas pessoas que passaram a fazer parte agora da sua vida: Henry Cejudo e Eric Albarracin. Atualmente, o brasileiro integra a 'Fight Ready', equipe que fica no Arizona (EUA). De acordo com o campeão, o resultado da sua última atuação poderia ser diferente se ele não tivesse feito essa escolha de mudar de vida.

"Eu sou um cara que gosto de refletir e enxergar meus erros. Eu vi os erros que estava cometendo e os eliminei da minha vida vindo para os Estados Unidos treinar em uma nova família. O cinturão é a prova. Se tivesse continuado nos mesmos erros não teria conquistado esse cinturão de novo", afirmou o brasileiro, antes de completar.

"(Cejudo e o Albarracin) São dois caras muito profissionais no que fazem. A tática de jogo deles é foda demais. Eles estudam muito o adversário e me dizem o jogo que vou fazer para essa luta. Eles implantam o jogo todos os dias. Na semana temos três reuniões e isso é bom demais, é onde o lutador fala o que está gostando,o que quer adicionar. Eu amei esses caras. Eles chegaram para mudar meu jogo e eu vou dar trabalho", concluiu.

E justamente essa mudança dita por Deiveson fez toda a diferença para ele superar seu último algoz. Sempre que pisava no octógono, o brasileiro mostrava um estilo agressivo para nocautear ou finalizar seus rivais, mas dessa vez foi diferente e ele adotou uma postura mais estratégica e surpreendeu o mexicano. O campeão, inclusive, apontou uma arma que utilizou na luta que, para ele, fez toda a diferença para sair com a vitória.

"Agora é outro Deiveson, um cara estratégico. Eu gosto de ir para cima, nocautear. Existe um bicho feroz dentro de mim e esse animal tem que ser controlado. Eles estão fazendo bem isso. Tenho golpes muito fortes e quase não exploro, principalmente o chute e nessa luta deu para perceber. Eu toquei o Brandon Moreno na perna dele várias vezes e muita gente que vê, acha que não está machucando, mas já chegou a mim que ele está bem machucado das pernas , então os chutes fizeram grandes efeitos. (Os chutes) minaram a resistência dele e destruíram a autoconfiança. Foi aí que ele decidiu cair para porrada. Veio brigar e começou a tomar os knockdowns", finalizou o campeão do UFC.

Deiveson Figueiredo iniciou na sua história no MMA profissional em 2012. Na modalidade, o 'Deus da Guerra', de 32 anos, soma 21 vitórias, sendo 17 pela via rápida (nocaute ou finalização), duas derrotas e um empate. O paraense estreou no UFC em 2017 e, dentro do octógono, possui dez triunfos, dois reveses e um empate.

MMA