PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

'Cyborg' cita benefício de revés para Amanda e esfria chance de revanche

Amanda Nunes e Cris Cyborg conversam após luta no UFC 232, na Califórnia - Josh Hedges/Zuffa LLC
Amanda Nunes e Cris Cyborg conversam após luta no UFC 232, na Califórnia Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

30/11/2021 08h00

Em dezembro de 2018, Cris 'Cyborg' e Amanda Nunes fizeram um duelo que foi apontado naquele momento como um dos maiores da história do MMA feminino. A curitibana buscava manter seu título do peso-pena (66 kg) do UFC, enquanto a 'Leoa' almejava adicionar este cinturão ao seu do peso-galo (61 kg) da organização - Amanda Nunes nocauteou a rival e sagrou-se bicampeã do Ultimate.

Desde então, sempre foi especulada a possibilidade de uma revanche, com o apoio de 'Cyborg', mas sempre descartada por Dana White, presidente da companhia. Quase três anos após esse confronto, parece que a chance do público ver este confronto acontecer está bem distante, pelo menos foi o que adiantou a atual campeã dos penas do Bellator.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (clique aqui), 'Cyborg' revelou não ter uma obsessão para conseguir essa revanche e explicou o motivo de não acreditar na possibilidade de encarar Amanda Nunes novamente. Além disso, Cris surpreendeu e destacou um ponto positivo do revés para a compatriota para a sua carreira.

"Não acredito que meu legado vai mudar se lutar com a Amanda de novo. Com certeza gostaria dessa revanche, mas está nas mãos de Deus. Talvez se um dia voltar ao UFC ou duelo de eventos. Agora estou feliz onde estou, não penso em voltar. Se um dia o esporte crescer mais e o UFC abrir a mente para fazer uma luta de companhias, campeão contra campeão, quem sabe acontece", afirmou a atleta de 36 anos, antes de concluir.

"Foi uma derrota na luta, mas para vida não foi. Aprendi muita coisa, evolui como atleta e pessoa", completou a brasileira, que depois desse duelo, venceu cinco lutas seguidas.

Apesar de não perseguir um novo confronto diante de Amanda Nunes, 'Cyborg' comentou sobre os próximos passos da atleta no Ultimate. Questionada sobre se a baiana tem alguma rival que tenha capacidade de vencê-la na companhia, a brasileira destacou nova rival da 'Leoa', pelo título do peso-galo, como uma ameaça ao reinado da compatriota.

"A próxima luta pode ser perigosa. Acredito que ela (Julianna Peña) pode lutar parecido com a Cat Zingano (última a vencer Amanda, em 2015). Acho que uma das próximas lutas a se fazer deve ser a Valentina (Shevchenko) com a Amanda. Vamos ver", finalizou.

Primeira atleta a conquistar o título de quatro grandes organizações do MMA (Strikeforce, Invicta, UFC, Bellator), Cris 'Cyborg' se tornou campeã da entidade presidida por Scott Coker em janeiro de 2020, logo em sua estreia pela organização. Desde então, a curitibana já defendeu seu cinturão do peso-pena em três oportunidades, a mais recente delas no último dia 12 de novembro, quando nocauteou Sinead Kavanagh.

MMA