PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Massaranduba' elogia qualidade de adversário na trocação, mas avisa: "Me garanto"

Ag. Fight

Ag. Fight

22/10/2021 13h08

Derrotado em sua última aparição no Ultimate, a primeira nos meio-médios (77 kg), Francisco Trinaldo decidiu permanecer na divisão. Agora, 'Massaranduba' vai enfrentar Dwight Grant no UFC Vegas 41, evento que acontece neste sábado (23), em Las Vegas (EUA), e mostra empolgação para o duelo, pelo fato do adversário ser um 'striker'. Para sua segunda atuação na categoria, o brasileiro deu a entender que terá uma abordagem diferente.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, 'Massaranduba', ciente de que Grant se destaca na parte em pé, revelou que sua estratégia no octógono será misturar todos os fundamentos para obter vantagem e não focar em apenas um. Vale pontuar que o veterano também possui bom nível na trocação. Tanto que, ao longo de sua carreira, o brasileiro superou adversários conhecidos no MMA e os surpreendeu, justamente, na área que dominavam. Caso o experiente atleta encontre dificuldade em cima, indicou que vai recorrer ao grappling, setor no qual o oponente não apresenta tanta desenvoltura.

"Estou focado na missão. É muito mais fácil, estou tranquilo. Fico animado com qualquer luta e feliz por ele topar lutar comigo. Sei que sou um cara duro para qualquer um, tenho um obstáculo na minha frente, mas vou conseguir vencer. Só não sei o jeito, mas estou bem preparado tanto para a luta agarrada, quanto para a trocação", declarou 'Massaranduba', antes de completar.

"Sei que ele é striker, mas vou fazer uma grande luta. Não tenho medo de ninguém na trocação. Me garanto, mas vou fazer MMA. Se der para ir para o chão, vamos. Tenho certeza que ele tem falhas, só faz o anti-jogo na grade, mas vou quedar. Vai ter uma hora que vou quedar, tentar pegar as costas. Vou fazer meu trabalho de chão. Se eu chegar na minha posição, vou fazer ele batucar", contou o lutador.

Em sua estreia nos meio-médios, 'Massaranduba' enfrentou o duro Muslim Salikhov e foi derrotado por decisão unânime. Inclusive, o veterano decidiu trocar o peso-leve pela categoria por sofrer problemas para alcançar 70 kg. É bem verdade que o brasileiro é dono de estatísticas importantes na divisão de baixo, porém, como se tornou inviável vencer a balança, aceitou a missão de lidar com adversários maiores. Após ser surpreendido pelo russo, o lutador garantiu que está adaptado, preparado para o desafio e que aprendeu a lição.

"Na minha estreia, fiquei um pouco tenso, pensando que ele era mais forte, mas fui me adaptando, treinando com caras mas pesados e me sinto bem. Estou confiante. É claro que os caras são maiores do que eu em volume, mas a força é igual, meu poder é igual. Deixo claro que tamanho não ganha luta. Faltou fazer mais MMA, lutar chão, tentar queda, fazer finta. Ir para dentro sempre vou, mas acho que o UFC casou uma boa luta agora para mim. Agora, é blindar a cabeça e sair com a mão levantada. Estou feliz para caramba lutando nesse peso. Estou feliz, querendo mais. Voltar para o peso-leve não passa na minha cabeça", concluiu.

Esporte