PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dillashaw afirma que venceria Sandhagen de forma fácil sem a grave lesão na perna

Ag. Fight

Ag. Fight

31/07/2021 12h00

Depois de dois anos afastado do MMA devido a um polêmico caso de doping, TJ Dillashaw voltou com tudo. No UFC Vegas 32, evento realizado em julho, o ex-campeão do peso-galo (61 kg) ignorou o favoritismo de Cory Sandhagen, um atleta mais alto e jovem, e levou a melhor por decisão dividida. O duelo travado pelos tops da categoria foi de alto nível e durou cinco rounds ou seja, os 25 minutos programados, mas, de acordo com 'Viper', isso tem uma explicação.

Ao participar do podcast 'It's Time', de Bruce Buffer, Dillashaw contou que a grave lesão que sofreu na perna logo nos rounds iniciais da luta contra Sandhagen o impediu de apresentar uma performance melhor em seu retorno ao octógono. Apesar do equilíbrio da batalha, parte da comunidade do MMA apontou 'The Sandman' como vitorioso no encontro, mas tal posicionamento não irritou o ex-campeão do peso-galo.

O próprio veterano admitiu que Sandhagen, seu ex-parceiro de treino, de fato, teve uma boa atuação. Contudo, TJ afirmou que sua vitória teria sido bem mais clara, caso lutasse sem lesão, mas vibrou por triunfar em um duelo grandioso mesmo em más condições. Vale lembrar que Dillashaw foi operado depois do combate, revelou que o UFC sabia da gravidade de seu estado físico e que até tentou impedir sua participação no evento.

"Cory teve muita sorte de meu joelho ficar machucado, porque teria sido uma história diferente se eu fosse capaz de levantá-lo ou atacar. Acredito que teria acabado com ele se minha perna estivesse boa. Mas, talvez, seja melhor assim. Mostrei que tenho coragem, mentalidade de recuperação, a luta contra a adversidade e que meu cardio é incomparável. Ninguém tem um ritmo melhor do que o meu. Eu trabalho mais do que todos. Talvez, isso tenha funcionado a meu favor. Ganhei muitos fãs nesta luta", declarou TJ, antes de completar.

"Indo para a decisão, quando ouvi que foi divida, fiquei um pouco nervoso, mas sabia que era uma luta dura e que Cory fez um ótimo trabalho em usar seu alcance, footwork e precisão de ataque. Mas você tem que lembrar que a luta é avaliada em rounds. Ele causou a maior parte de seus danos no segundo round, depois que machuquei meu joelho. Mesmo se você der a ele dois rounds, nos outros eu estava controlando a distância e o ritmo. Eu venci. Fiz o que tinha que fazer com uma perna para conseguir a vitória. Não ficarei bravo por vencer um cara como Cory com uma perna", concluiu.

TJ Dillashaw, de 35 anos, é um dos lutadores mais condecorados da história do peso-galo. O americano foi campeão da categoria duas vezes pelo UFC, em 2014 e 2017. Desde 2011 na organização, o atleta disputou 17 lutas, venceu 13, sendo sete por nocaute, e perdeu quatro vezes. Seus triunfos de maior destaque foram diante de Cody Garbrandt (duas vezes), Cory Sandhagen, John Lineker, Raphael Assunção e Renan 'Barão' (duas vezes). Atualmente, 'Viper' se encontra na segunda posição no ranking da divisão.

Esporte