PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Anderson Silva comemora vitória no boxe e abre as portas para novas lutas

Anderson Silva luta com Julio Cesar Chavez - Manuel Velasquez/Getty Images
Anderson Silva luta com Julio Cesar Chavez Imagem: Manuel Velasquez/Getty Images

Ag. Fight

Ag. Fight

20/06/2021 10h00

Anderson Silva fez história mais uma vez. No último sábado (19), a lenda do MMA foi até o México lutar boxe contra Julio Cesar Chavez Jr., ex-campeão mundial da modalidade, e surpreendeu ao vencer por decisão dividida. Visivelmente emocionado com o feito, 'Spider', de 46 anos, indicou que essa não foi a última vez que seus fãs e os amantes dos esportes de combate vão vê-lo em ação.

Em entrevista após a vitória e ainda no ringue, Anderson agradeceu sua equipe, composta pelo treinador Luiz Dórea, o amigo Rodrigo 'Minotauro', entre outros nomes, que propiciou a realização de mais um momento inesquecível em sua carreira. Vale lembrar que, durante seus anos de reinado no peso-médio (84 kg) do UFC, a lenda do MMA nunca escondeu seu amor pelo boxe e, constantemente, expressava o interesse de atuar no esporte.

Após vencer um ex-campeão mundial de boxe e na casa do adversário, o veterano se colocou à disposição para seguir em atividade e realizar novas aparições nos ringues. Inclusive, a imprensa especializada já especula que o próximo adversário de Anderson possa ser Roy Jones Jr., lenda da modalidade e que sempre foi alvo do brasileiro.

"Estou muito feliz. Preciso agradecer, porque meu treinador trabalhou muito comigo. Eu preciso disso, porque amo lutar e o boxe é o meu sonho de muitos e muitos anos. Preciso provar meu respeito pelo boxe. Eu não posso entrar aqui e não dar o meu melhor. Agora, volto para casa. Meu filho tem uma luta em breve. Volto para ajudar minha equipe e talvez lute muito em breve", declarou a lenda do MMA.

Anderson Silva, de 46 anos, é um dos lutadores mais celebrados dos esportes de combate. Em seu auge no MMA, o brasileiro marcou época no UFC. 'Spider' conquistou o título do peso-médio logo após sua estreia na companhia e o defendeu dez vezes. Não à toa, o veterano é considerado por parte da comunidade das artes marciais mistas o maior nome da história da modalidade. Seus principais trunfos foram diante de Chael Sonnen (duas vezes), Dan Henderson, Demian Maia, Forrest Griffin, Rich Franklin (duas vezes) e Vitor Belfort.

Esporte