PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Brasileiro do Bellator elogia Diego Costa após treinos de muay thai

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

31/03/2021 08h00

Um dos principais atacantes do futebol mundial, Diego Costa, que defende as cores do Atlético de Madrid, não foca suas atenções apenas em atividades para aumentar sua performance dentro dos gramados. Nas últimas semanas, o atacante iniciou treinos de muay thai e passou a contar com a ajuda de outro brasileiro para isso. O responsável por introduzir as artes marciais na vida do jogador é Alberth Dias, lutador do Bellator.

Mas para explicar melhor o começo desta parceria, a reportagem da Ag. Fight vai contar um pouco da história do atleta que compete na segunda maior liga de MMA do mundo. Natural da cidade de Aracaju (SE), Alberth fez um caminho que poucos profissionais do esportes trilham: ao invés de ir para os Estados Unidos, onde se concentra boa parte dos principais times do mundo, o lutador se mudou para a Europa para mudar de vida.

"Tive uma chance de lutar um evento em Portugal, fui para lá e tive a proposta de ficar. Me sentia um pouco parado no Brasil, não via crescimento. Nos Estados Unidos meu inglês é muito básico e agora estou melhorando isso. Então fui para Portugal para seguir carreira, dar minhas aulas de muay thai e tentar minha vida como lutador. Deu tudo errado no começo, só consegui lutar depois de um ano e foi na minha pior fase. Trabalhei lavando carros, na cozinha e fui me adaptando. Depois de um ano lá, lutei e perdi, então decidi mudar. Um amigo que tinha uma academia em Madri, que estava precisando de um professor de muay thai. Não tinha aluno nenhum, começaria do zero, mas decidi ir. Agora completei cinco anos em Madri esse ano, tudo está dando certo", explicou.

Apesar de morar na capital espanhola há anos, Alberth não conheceu Diego Costa na cidade. Como ambos são naturais de Sergipe, quis o destino que uma amizade familiar os aproximasse - a família do atacante é amiga da avó do lutador. Por isso, nas festas de fim de ano de 2020, os dois puderam se conhecer pessoalmente e dar o pontapé inicial na amizade, além de combinar aulas particulares na Espanha.

"Minha avó tem uma proximidade com a família dele. Eu nunca tinha conhecido o Diego, ele saiu do Brasil cedo para tentar carreira fora. Agora em dezembro a gente estava juntos na cidade (Lagarto) da minha avó e tive o primeiro contato. Falei com ele que morava em Madri também e ele respondeu: 'Sério? Não sabia que tinha um conterrâneo por lá'. Expliquei do meu trabalho e ele disse que quando voltasse para Madri ia falar comigo para fazer um treino. Ele é muito simples, humilde. Não deu outra. Quando chegou me mandou mensagem para a gente treinar. Falou que ia fazer uma aula, mas nunca tinha treinado nada, que queria conhecer tudo", contou, antes de completar.

"Passamos um tempo bacana, pude treinar com ele e para mim é uma honra. Estamos fazendo um treino básico, de socos, chutes. De pouco a pouco, sem pressa. Ele leva jeito, é bom de chute (risos). Ele é referência, é um ídolo na Espanha também e acompanha arte marcial, gosta bastante, acho que como todo brasileiro, né?! (risos). Então para mim foi dois em um. Poder fazer meu trabalho, algo que gosto muito, e com uma pessoa assim. É cinco estrelas", concluiu o lutador que treina na equipe Tatamiesfera.

Além de dar treinos para Diego Costas, Alberth também está se mantém ativo em busca de atuar novamente no cage do Bellator. O brasileiro estreou na organização em fevereiro de 2020, quando derrotou Richie Smullen por decisão dividida dos jurados. Porém, com a pandemia de COVID-19, o atleta não teve mais chances de se apresentar, mas adiantou que está trabalhando para que essa espera chegue ao fim o mais rápido.

"Antes dessa pandemia estava com planos de lutar em Londres ou na Itália, duas últimas edições an Europa, mas não deu certo e não consegui. Agora na Europa não tem evento programado, são todos nos Estados Unidos, então dei entrada no meu visto americano para dar certo e ter a porta mais aberta para lutar lá. Quero lutar o mais rápido possível. Encho o saco do meu empresário todo dia para me ajudar (risos). Estou treinando e quando pintar a chance a gente pega", concluiu o atleta, que atua profissionalmente no MMA desde 2012 onde possui cinco vitórias e três derrotas em sua carreira.

MMA