PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Caso vença no UFC 259, 'Livinha' mira revanche com algoz: "Não perdi aquela luta"

Ag. Fight

Ag. Fight

05/03/2021 07h00

Em sua última aparição, Lívia Souza voltou ao caminho das vitórias ao superar Ashley Yoder, em agosto, e visa dar continuidade ao bom momento. A paulista vai participar de um embate brasileiro contra Amanda Lemos no UFC 259, evento que acontece neste sábado (6), em Las Vegas (EUA), e, caso leve a melhor sobre a compatriota, a atleta já sabe quem irá desafiar.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, 'Livinha' elogiou Amanda, sua atual adversária, mas adiantou que está pronta para enfrentar lutadoras mais conhecidas. Sem esconder o jogo, a brasileira citou Angela Hill como oponente ideal e, ao que parece, o clima entre a dupla não é dos melhores.

Em 2016, a paulista colocou o cinturão do peso-palha do Invicta FC em jogo contra a americana e levou a pior na decisão dividida dos juízes. A derrota para a rival foi dura, já que Lívia perdeu o título da organização e também a invencibilidade no esporte. Como não esqueceu o revés, a atleta está disposta a acertar as contas com Hill, uma vez que ambas integram o top-15 da categoria.

"É um confronto legal, somos duas grandes atletas. Espero enfrentar lutadoras de mais nome, mas aprendi a ter paciência. Achei que, quando entrasse no UFC, faria quatro lutas por ano, mas tive problemas e não desenvolvi meu potencial. Agora, treino de forma inteligente e tenho suporte. Com certeza, estou preparada para enfrentar grandes nomes. Existem atletas que admiro. O peso-palha é o mais difícil do MMA feminino. Um dia, com certeza, quero vingar minha derrota para a Angela Hill. Principalmente, porque eu não perdi para ela. Me ferraram naquela luta. Brasileiro para ganhar nos Estados Unidos, ou você mata ou perde", declarou Lívia.

Parte dos fãs conhece 'Livinha' como lutadora do UFC, mas ela vai além. Recentemente, a paulista foi patrocinada pela FURIA, organização brasileira de esportes eletrônicos. Vale destacar que a atleta nunca escondeu seu amor por certos tipos de jogos. Inclusive, constantemente, a lutadora participa de transmissões ao vivo nas redes sociais. A profissional aproveitou para pedir que a comunidade dos 'e-sports' seja respeitada, pois é um ramo sério, assim como as demais profissões, e indicou que sua visibilidade pode ajudar a diminuir o preconceito que ainda existe no meio.

"A galera que me conhece sabe que fico o dia inteiro grudada no computador, principalmente, jogando 'Counter-Strike' e 'FIFA'. Sempre tive a ambição de ser profissional, mas faltava um pouco de habilidade. Fui estudando a plataforma, tendo dicas e a galera da Fúria me abraçou. Serei uma streamer da Fúria. Pretendo me conectar com a galera, transmitir os jogos e integrar esse público dos esportes. Muitos ainda imaginam que a pessoa que joga é sedentária, não tem saúde, mas não. É uma profissão bastante difícil, exige muita repetição. Consegui me integrar aos dois mundos. Hoje, tem gamers que ganham mais do que jogadores de futebol e lutadores do UFC", concluiu.

Lívia Souza, de 29 anos, chegou ao UFC com certa pompa pela passagem de sucesso pelo Invicta FC, porém as recorrentes lesões impediram a brasileira de permanecer em atividade. Pela maior organização de MMA do mundo, 'Livinha' disputou quatro lutas, venceu três e perdeu uma. Em sua trajetória na modalidade, a paulista realizou 16 combates, triunfou em 14, sendo oito por finalização, e sofreu duas derrotas. Atualmente, Lívia ocupa o 15º lugar no ranking do peso-palha da companhia.

Esporte