PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Do Bronx' elogia astros do UFC 257, mas insiste em cinturão: "É Charles contra Poirier"

Ag. Fight

Ag. Fight

26/01/2021 16h10

Assim como a maioria dos fãs de MMA, Charles Oliveira acompanhou o UFC 257 com atenção, uma vez que o evento era decisivo para o futuro da divisão dos pesos-leves (70 kg) do evento. Na atração realizada no último sábado (23), em Abu Dhabi (EAU), Dustin Poirier deu o troco em Conor McGregor ao nocautear na revanche entre eles, e Michael Chandler impactou em sua estreia ao nocautear Dan Hooker. Ligado na movimentação de sua categoria, o brasileiro, número três no ranking, analisou seu futuro e garantiu foco na disputa de título.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Charles afirmou que será o próximo desafiante do peso-leve e apresentou suas credenciais para alcançar tal posição. Para isso, o atleta fez questão de lembrar de sua vitória mais recente, diante de Tony Ferguson, e da sequência de oito triunfos no octógono. De acordo com o paulista, chegou sua hora, independentemente do campeão Khabib Nurmagomedov se aposentar ou não.

"Aceitei uma luta com 20 dias contra um cara que todos falavam, o Ferguson, e vocês viram o que aconteceu, não preciso falar. São oito vitórias seguidas. Não deixo na mão dos juízes e quando deixo, não tem como falar que foi para o outro lado. São vários anos de UFC, nunca neguei uma luta. Não tem outro caminho a ser tomado. É Charles contra Poirier. Ele mesmo falou isso. Vou subir um passo de cada vez, sem pisar em ninguém. Chandler é um cara duríssimo, com certeza, mas chegou agora e fez uma luta contra um cara que só correu dele", afirmou, acelerando sua fala ao mencionar a possibilidade de Khabib desistir de pendurar as luvas.

"Se Khabib voltar, não tem outro caminho a ser tomado também. Todos que estão na minha frente ele já venceu, tanto é que falou que é superior aos que lutou. Ele nunca lutou comigo, então não tem como saber isso. Se Khabib voltar, o único cara que nunca lutou com ele sou eu. Sou o único com uma grande sequência de vitórias. Se o cinturão ficar vago, é Charles x Poirier", declarou Charles.

Apesar da concorrência no peso-leve, 'Do Bronx' elogiou Chandler e Poirier por suas performances no octógono. O brasileiro revelou que o primeiro não o surpreendeu, pois sempre atuou dessa forma. Além disso, o paulista mostrou respeito quanto ao status do ícone do Bellator no MMA, mas minimizou a importância do nocaute em Hooker. Charles também informou que a luta que lhe interessava era entre 'The Diamond' e McGregor e indicou que o vencedor será seu próximo adversário na sequência.

"Temos que respeitar o Chandler. É um cara duríssimo, fez a primeira luta contra o Hooker, que não lutou, só correu. Chandler fez o que faz de melhor, que é impor o ritmo dele e nem precisou botar para baixo. Conectou um golpe duro e nocauteou. Sabia que Chandler viria com essa pressão. Ele foi contratado para lutar pelo cinturão. Não posso tirar o mérito dele, mas essa luta não me importava muito. A que me importava era Poirier x McGregor, porque é dela que sairia meu oponente e saiu. Poirier é duríssimo e fez uma leitura perfeita. Ele foi malandro, chutou a panturrilha, foi consciente e não estava nervoso. Quando conectou uma mão dura, botou McGregor para dormir. Ele está de parabéns. Poirier é um grande campeão, tem muita visão de luta, enxerga a categoria e sabe o que está falando. Agora é Charles contra Poirier", comentou.

Se existem lutadores que conseguem destaque no UFC por conta do 'trash talk', Charles se encontra do outro lado da balança. O brasileiro garantiu que não vai mudar sua postura no esporte para ter sucesso nele. Pelo contrário, o paulista frisou que, se é para se comportar de forma forçada, vai abandonar o sonho de ser campeão do peso-leve da organização. Confiante, o especialista em jiu-jitsu afirmou que prefere realizar seu trabalho dentro do octógono do que falar fora dele.

"Eles querem que eu fale, seja agressivo, ofenda os oponentes, mas isso não vai acontecer. Estou há dez anos no UFC e sempre da mesma forma. Todas as vezes que lutei, dei show mesmo perdendo. Se querem ver show, me coloquem para lutar. Sou lutador, não trabalho no circo. Faço as pessoas ficarem chocadas. Quando falo que vou tirar para nada, que vou chocar o mundo, vou lá e faço. Falei que ia mostrar que Ferguson não era esse monstro e bati nele por três rounds. Quando lutei com o Lee, falei que a única coisa que ele sabe fazer mais que eu era falar. Se for para ser campeão e ganhar dinheiro, será da mesma forma. Se o UFC quiser alguém que fique falando, discutindo nas redes sociais e fazendo besteira, me desculpa, mas, infelizmente, meu sonho de ser campeão não vai se realizar, porque isso não vou fazer. Não vou me mudar para agradar as pessoas. Vou ser campeão agindo da  mesma forma desde o começo. Humilde, sem desrespeitar ninguém", concluiu.

Atualmente, Charles 'Do Bronx', de 31 anos, vive a melhor fase de sua carreira. A vitória do brasileiro sobre Tony Ferguson, em dezembro, mudou o patamar do lutador no UFC, já que dominou o ex-campeão interino do peso-leve e chegou a aplicar 10×8 em um dos rounds. O paulista ampliou sua sequência de triunfos para oito e passou a ocupar a terceira posição no ranking da categoria.

Esporte