PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Aldo conta jeitinho brasileiro contra problema inesperado para bater o peso

Ag. Fight
Imagem: Ag. Fight

Diego Ribas

Ag. Fight

18/12/2020 17h30

Ex-campeão peso-pena (66 kg) do UFC, José Aldo levantou muitas dúvidas quando decidiu descer de categoria e prosseguir sua carreira no peso-galo (61 kg), especialmente no que diz respeito à sua capacidade de resistir ao desgastante corte de peso. Porém, prestes a fazer sua terceira luta na divisão, o manauara silenciou todos os questionamentos ao bater o peso em todos os seus compromissos, inclusive nesta sexta-feira (18), na pesagem oficial do UFC Las Vegas 17, onde o atleta da 'Nova União' encara Marlon 'Chito' Vera na co-luta principal do evento, marcado para este sábado (19).

No entanto, o semblante tranquilo com o qual Aldo subiu na balança escondia a dificuldade passada por ele no processo de corte de peso. Em conversa com membros da imprensa brasileira presentes no UFC Apex, depois da pesagem, das encaradas e de receber da USADA (agência americana antidoping) a jaqueta comemorativa por realizar 50 testes antidoping, o ex-campeão revelou que precisou superar um enorme obstáculo para bater o peso limite da divisão dos galos.

De acordo com o brasileiro, a banheira do seu aposento, utilizada por ele para auxiliá-lo no processo de desidratação, apresentou um problema de funcionamento. Com isso, Dedé Pederneiras - treinador de longa data do manauara - precisou improvisar e comprar panelas para esquentar água, para encher a banheira e possibilitar o corte de peso do pupilo.

"O corte de peso teve uma hora que eu achei que ia ser bem difícil, porque deu um probleminha na banheira. Aí o Dedé teve que comprar umas panelas, esquentar (água) no fogão. Ainda bem que a gente está em um quarto que é estilo casa. Então, o Dedé pôde esquentar as panelas lá com um termômetro, ficou controlando a água. Porque senão... Eu não tiro peso na sauna, tiro só na banheira. E chegou uma hora, ontem a noite, que eu achei que não ia bater o peso. Aí acordei hoje faltando um quilo, e a gente fez rapidinho uma banheira de 20 (minutos) e uma de dez (minutos), e aí eu bati", contou Aldo, antes de revelar que outro brasileiro escalado para o evento deste sábado relatou o mesmo problema.

"Não esquentava a água (da banheira). Eu estava conversando com o Marlinho (Moraes) agora e o Marlon também falou a mesma coisa. Só que ele falou com o Jucão e o Jucão levou ele para o outro lado e o outro lado estava bom. Acho que queimou alguma coisa do nosso lado e a água não esquentava. Aí eu falei, liga ai e fala que deu m***, que eu não vou conseguir bater o peso (risos). Mas o Dedé ligou para uns alunos daqui e comprou umas panelonas. Ele esquentava a água, (pegava) fervendo e botava na banheira, meu Deus do céu. O jeitinho brasileiro salvou nessa hora", finalizou.

Vindo de três derrotas consecutivas, a mais recente para Petr Yan, em julho deste ano, pelo cinturão peso-galo do UFC, José Aldo vive sua pior fase na carreira, especialmente no que diz respeito aos resultados. Neste sábado, o ex-campeão peso-pena busca sua primeira vitória na divisão até 61 kg do Ultimate, diante do equatoriano Marlon 'Chito' Vera, no co-main event da edição 'Las Vegas 17' da franquia.

MMA