PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Treinador aposta que Anderson Silva fará superlutas após despedida do UFC

Aos 45 anos, Anderson Silva mede forças com Uriah Hall da luta principal do card deste sábado, em Las Vegas (EUA) - Arquivo pessoal/Instagram @spiderandersonsilva
Aos 45 anos, Anderson Silva mede forças com Uriah Hall da luta principal do card deste sábado, em Las Vegas (EUA) Imagem: Arquivo pessoal/Instagram @spiderandersonsilva

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

31/10/2020 07h00

Neste sábado (31), Anderson Silva pode colocar um ponto final em sua carreira no UFC ao fazer o duelo principal de evento realizado em Las Vegas (EUA) diante de Uriah Hall. Porém, apesar de muitos apontarem que essa também será a última luta de 'Spider' nas artes marciais, Rogério Camões, seu treinador, tem uma opinião diferente.

Camões, que está ao lado de Anderson desde o início de sua trajetória no UFC, aposta que o lutador ainda voltará a competir. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o profissional adiantou sua crença de que o ex-campeão do peso-médio (84 kg) da liga pode finalmente se aventurar nas chamadas superlutas. Quando reinou na divisão, essa questão sempre foi levantada, mas nunca se tornou realidade.

"Vejo como a última luta no UFC, mas não da carreira dele no MMA ou arte marcial. Acredito que ele tenha lenha para queimar. Gostaria de ver o Anderson fazer uma superluta. Uma superluta de verdade, que fosse fora desse processo de pandemia e que fosse daquelas, com casa lotada, espetáculo, contra um cara lendário, como o Anderson. Seria muito legal. Ele encerra no UFC, mas tenho esperança que possa acontecer essa superluta. Que seja no MMA ou boxe. Ele tem toda essa possibilidade. Tem muita saúde, genética privilegiada e talento fora da curva", disse o treinador, antes de destacar que pela atual situação, esse é o momento de Anderson lutar apenas por diversão.

"O Anderson já foi campeão durante oito anos. O momento é para ele fazer uma luta espetacular que ele possa desenvolver e mostrar o talento dele. Vale mais a pena ver uma superluta do Anderson do que tentar buscar um lugar no meio desse bolo da categoria. Ele não tem que provar mais nada para ninguém. A luta dele é um show, então caberiam lutas assim. O público quer ver show", finalizou.

Apesar de revelar sua confiança de que Anderson Silva ainda fará mais lutas na carreira, 'Rogerão' não escondeu a emoção por fazer parte da trajetória do veterano no UFC, evento no qual o Spider reinou durante oito anos, com 16 vitórias seguidas.

"É uma realização profissional estar ao seu lado, não só por tudo que ele tem feito, ter sido durante anos detentor do cinturão, ser o maior de todos os tempos dentro do UFC. Tudo isso valoriza muito o meu trabalho. O Anderson está muito motivado, feliz. Ele gosta muito de lutar. Ele ama o que faz. Ele está indo para essa luta feliz, treinou muito bem. Fizemos um camp diferenciado para não pressioná-lo, mas ele é muito treinado também. Já tem um lastro técnico, físico, competitivo. Está pronto", revelou.

Aos 45 anos, Anderson Silva mede forças com Uriah Hall da luta principal do card deste sábado, em Las Vegas (EUA). 'Spider' compete no MMA profissional desde 1997, onde acumula 34 vitórias, dez derrotas e um 'No Contest' (luta sem resultado) em seu cartel. O brasileiro foi campeão e soberano no peso-médio do Ultimate entre 2006 e 2013, com dez defesas de cinturão seguidas, um recorde absoluto na categoria.

MMA