PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Dana coloca panos quentes e descarta racismo em declarações de Covington

"Esses caras têm suas próprias causas, suas crenças. Nós não amordaçamos ninguém", disse Dana - Brandon Magnus/Zuffa LLC via Getty Images
"Esses caras têm suas próprias causas, suas crenças. Nós não amordaçamos ninguém", disse Dana Imagem: Brandon Magnus/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

Ag. Fight

25/09/2020 11h26

No último sábado (19), Colby Covington novamente foi o centro de uma polêmica no Ultimate. Após derrotar Tyron Woodley, no duelo principal do UFC Las Vegas 11, por nocaute, o americano discutiu com Kamaru Usman, campeão dos meio-médios (77 kg) do Ultimate e protagonizou um episódio racista.

Tudo começou quando Usman, em uma transmissão da 'ESPN' americana junto com o desafeto, ironizou a ligação de Donald Trump para Covington após o evento, para o parabenizar pelo triunfo. Nesse momento, o ex-campeão interino da categoria rebateu menosprezando as condições de vida da Nigéria, país do detentor do título.

"Quem telefonou para você? Você recebeu uma ligação da sua tribo? Alguém enviou sinais de fumaça para você? Você é uma piada", disparou o americano.

A polêmica não demorou para chegar até Dana White, presidente do Ultimate. Questionado sobre o que achou das declarações de Covington e se havia um contexto racista, o mandatário tratou de colocar panos quentes no assunto.

"Esses caras têm suas próprias causas, suas crenças. Nós não amordaçamos ninguém. A gente permite que todos falem o que querem. Não acho que foi racista o que ele disse. Não ouvi nada de racista no que ele disse", opinou o dirigente.

MMA