PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Treinador sugere Colby Covington como reserva de duelo entre Usman e 'Durinho'

Ag. Fight

Ag. Fight

22/09/2020 08h00

No último sábado (19), Colby Covington fez sua primeira apresentação no Ultimate após a saída da 'American Top Team' - e o resultado foi proveitoso. O americano derrotou Tyron Woodley por nocaute na luta principal do UFC Las Vegas 11. Além do lutador, quem também celebrou o resultado positivo foi o brasileiro Daniel Valverde, responsável pelos treinos do ex-campeão interino dos meio-médios (77 kg). Com isso, o técnico já começou a planejar os próximos passos do seu pupilo.

Na coletiva de imprensa após o evento, Covington adiantou o desejo de lutar novamente pelo cinturão. No entanto, o americano sabe que Gilbert 'Durinho' vai encarar o campeão Kamaru Usman e logo citou um outro rival que gostaria de encarar: Jorge Masvidal. Por sua vez, Valverde sugeriu que Colby pudesse ser um reserva pela disputa do título, que deve acontecer em dezembro.

"Masvidal é um grande atleta, tem nome e vende muito pay per view. Eles têm aquela história que eram amigos, parceiros de treino. É uma luta que faz sentido. Agora o 'Durinho' é o próximo contra o Kamaru, então Colby pode se preparar para ser um reserva, em caso de um dos dois se machucar", disse o técnico da 'MMA Masters', em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, antes de completar.

"Se ele vai voltar semana que vem para a academia e conhecendo ele, acho que vai mesmo, então ele vai estar pronto em dezembro. Espero que nenhum dos dois se machuquem, que eles lutem, mas se acontecer alguma coisa e o UFC precisar, o Colby vai estar pronto. Mas acho que antes vão marcar luta para ele", concluiu.

Sobre a primeira apresentação de Colby sob seus olhares, Valverde valorizou a boa relação que possui com o atleta e que ele cumpriu a estratégia traçada pela equipe para garantir o triunfo. Além disso, o treinador confirmou que a 'MMA Masters' será a casa do americano e destacou o tratamento diferenciado que o time o proporciona.

Rigel Salazar

"Ele quer o cinturão e vai fazer de tudo para conquistá-lo. Ele está com a gente 200%, muito feliz e temos uma relação de amizade e respeito. Ele está tendo coisas que não tinha antes e está muito feliz. Colby tem um treino voltado para ele. Talvez na 'ATT' tenha muitas pessoas no peso dele e ele não se sentia confortável. Na academia ele tem um treino personalizado. Mudar é bom, talvez olhe coisas que não via antes", contou.

A última apresentação de Covington despertava uma outra curiosidade na comunidade do MMA. Além da mudança de equipe, existia a expectativa para ver se o americano iria trocar de base na luta em pé, após a declaração de Cesar Carneiro. O treinador apontou que o lutador atuava de maneira invertida, por ser destro e não canhoto. No entanto, Colby manteve seu estilo de lutar.

"Não é que a gente ia fazer ele mudar de base assim. Seria burrice grande fazer que ele mudasse assim em seis meses de treino. Foi só uma observação que ele tinha dificuldade de lutar na canhota por ser destro e vamos trabalhar para mudar isso no futuro, para lutar nas duas bases. É uma característica da nossa academia. Ter uma facilidade para lutar nas duas bases. Como no chão, faz a guilhotina e o triângulo dos dois lados. Nem pensamos em mudar a base dele para essa luta, explicou o líder da equipe.

Com a vitória sobre Tyron Woodley, Colby Covington voltou a sentir o sabor da vitória e se recuperou dentro do Ultimate. O americano, que já foi campeão interino dos meio-médios, não se apresentava desde dezembro do ano passado, quando foi derrotado por Kamaru Usman, em disputa pelo título dos meio-médios, no UFC 245.

Esporte