PUBLICIDADE
Topo

MMA


Aldo critica Jon Jones e diz que não é o momento de pedir aumento salarial

José Aldo criticou postura de Jon Jones - Chris Unger/Zuffa LLC via Getty Images
José Aldo criticou postura de Jon Jones Imagem: Chris Unger/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

Ag. Fight

06/07/2020 09h22

No próximo sábado (11), José Aldo vai ter a chance de ganhar mais um cinturão no Ultimate. O brasileiro enfrenta o russo Petr Yan, no UFC 251, que será realizado na 'Ilha da Luta', em Abu Dhabi, pelo título do peso-galo (61 kg), que está vago desde a aposentadoria de Henry Cejudo. Apesar do duelo estar perto, o brasileiro fez questão de tratar de outro tema que não é seu compromisso. O ex-campeão do peso-pena (66 kg) criticou Jon Jones por recentes brigas com a liga por questão salarial.

Em entrevista à 'ESPN' americana, Aldo afirmou que esse não é o momento dos lutadores pleitearam aumentos de salários. O brasileiro citou a questão da pandemia de coronavírus, que tem deixado o mundo em alerta e parou por quase dois meses os eventos do UFC, trazendo prejuízo financeiro.

"Eu respeito a posição dele (Jones), faz parte do atleta, mas tenho uma visão contrária. Fico contente pelo o que o UFC me proporcionou, por eu me tornar quem eu sou. Então, nesse momento em que o mundo passa por uma situação tão difícil, lutar por um aumento ou qualquer coisa, não vejo de uma maneira positiva", disse o brasileiro, antes de emendar dizendo que o americano tem que agradecer o UFC por tudo que tem.

"Deixo essa questão: 'Se não fosse o UFC, o que ele seria? Não seria nada'. Então esse não é o momento de pensar em receber mais ou não. Espere essa fase passar e negocie o contrato. Se você assina um contrato para ganhar uma quantia, está escrito. Aí depois porque ganha uma 'lutinha', tem que ter um contrato a mais? Não", concluiu o brasileiro, que não atua desde dezembro de 2019 quando foi superado por Marlon Moraes.

Apesar da derrota na decisão dividida dos juízes para Marlon Moraes em sua estreia nos galos, José Aldo foi escalado para disputar o título da divisão contra o então campeão Henry Cejudo no UFC 250, que seria realizado em São Paulo, no dia 9 de maio deste ano. No entanto, devido à pandemia de covid-19, que provocou diversas mudanças significativas no planejamento da entidade, o brasileiro viu Dominick Cruz o substituir, ser o novo desafiante e perder para 'Triple C' na edição 249.

MMA