PUBLICIDADE
Topo

MMA


Bodão viu fama com TUF na Globo, teve depressão com baixa e tenta voltar

09.nov.2013 - Thiago Bodão (esquerda) durante luta contra russo Omari Akhmedov no UFC Goiânia - Alexandre Loureiro/Inovafoto
09.nov.2013 - Thiago Bodão (esquerda) durante luta contra russo Omari Akhmedov no UFC Goiânia Imagem: Alexandre Loureiro/Inovafoto

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

16/06/2020 04h00Atualizada em 16/06/2020 11h16

Em 2012, Thiago 'Bodão' viveu seu momento de auge na carreira. Após passagem pela primeira edição do TUF Brasil (na época, o reality foi transmitido pela TV Globo), o lutador, que ganhou popularidade pelo programa, conseguiu um contrato com o Ultimate. No entanto, quase dois anos depois de sua estreia na organização, o peso-médio (84 kg) acabou cortado depois de acumular retrospecto de um triunfo e dois reveses dentro do octógono. A partir daí um inferno astral se instalou na vida do paulista e ele precisou travar outra luta, só que dessa vez fora dos cages de MMA.

Após sair do UFC, em 2014, 'Bodão' ainda se apresentou no XFC, em 2015, e também foi derrotado. Sem o ânimo de antes para competir e desgastado com o corte de peso drástico, já que fora do período luta ele chegava a pesar mais de 100 kg, o brasileiro cultivou um quadro depressivo. Se aos nove anos ele precisou superar um câncer raro no ombro, agora tinha mais uma nova batalha pela frente.

"Passei por momentos muito difíceis na minha vida, mas consegui superar, com muita ajuda da minha esposa, amigos e agora estou com uma outra cabeça. Nessa época nem queria falar com ninguém. Foi aí que minha esposa e meus amigos falaram que eu tinha que buscar ajuda. Sempre acreditava que nada ia me abalar depois do câncer, mas chegou isso e nem senti", disse o lutador, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, antes de completar que já começou a recuperar o tempo perdido e agora também dá aulas, aproveitando ainda sua popularidade dos tempos de TUF Brasil para conseguir mais alunos.

"Teve uma fase que fiquei parado de tudo, queria fazer nada. Mas depois, conforme fui me recuperando, comecei a dar aula em academia, personal. Dou aula de lutas, depende do estilo que a pessoa quer. Faço boxe, muay thai, MMA. O legal é que muitos alunos fecham comigo por causa disso (época do TUF e UFC). Tenho esse feedback positivo demais. Acho que foi porque passou em TV aberta, foi o primeiro. Muita gente me reconhece, pede pra tirar foto na rua. Por isso meu desejo de lutar, recuperar o tempo perdido que fiquei sem lutar, sem aparecer", concluiu o atleta que revelou que já voltou aos treinos de olho em sua volta ao MMA.

Quando tudo estava caminhando para o público ver Thiago 'Bodão' dentro de um cage novamente, um contratempo o impediu. Dessa vez, no entanto, nada diretamente a ver com ele, mas sim com a pandemia de coronavírus. Com o vírus espalhado pelo mundo, os principais shows de MMA estão em modo de espera, exceto o UFC, para poder retomar suas funções. Por isso, o lutador, que já estava em negociações com eventos nacionais, está no aguardo dos casos de COVID-19 diminuírem para, dessa maneira, poder finalmente concretizar seu retorno.

"Quero voltar e agora é só esperar esse lance da pandemia, que deu uma atrasada nos meus planos, já que minha ideia era lutar em agosto. Já estava treinando, cortando o peso certinho. Tinha duas opções de evento, eram nacionais, mas agora com isso não sei como vai ser. Pretendo fazer uma ou duas lutas aqui no Brasil para depois me testar lá fora. Até recebi propostas de evento do exterior, mas quero pegar o ritmo aqui antes", explicou o paulista, que possui nove vitórias, quatro derrotas e um empate em seu cartel profissional.

'Bodão' tirou importantes lições do que passou em quase cinco anos em que esteve afastado do MMA. Uma delas é o processo de corte de peso. Se antes ele fazia uma manobra e que lhe causava um desgaste tanto físico, quanto mental, para seu retorno aos eventos ele vai adotar uma nova postura.

"Acho que volto com uma outra cabeça, com uma luta mais inteligente. Esse período que passei eu tirei muitas lições e não vou mais cometer loucuras de descer de peso. Agora será gradativo, tudo certinho. Acho que foi isso que desencadeou aquele problema todo. Agora serei mais inteligente e tático", adiantou, sem esconder o desejo que ainda sonha em recuperar seu espaço e mostrar seu valor dentro do Ultimate no futuro.

"Gostaria de voltar. É o maior evento de lutas do mundo. Mas claro que penso no lado financeiro, em eventos como Bellator, ONE, que crescem bastante. Também seriam grandes opções. Mas todo atleta pensa no UFC e vejo muitos que saíram e retornaram depois. Então é o foco mais alto e vou correr atrás", finalizou.

MMA