PUBLICIDADE
Topo

Preparador físico elogia foco de Amanda Nunes antes do UFC 250: "Motivada a se superar"

Ag. Fight

Ag. Fight

06/06/2020 08h00

Everton Oliveira ao lado da campeã do UFC Amanda Nunes - Leka Romão

Neste sábado (6), Amanda Nunes vai ter mais um grande desafio pela frente. A brasileira encara Felicia Spencer, em luta que marca sua primeira defesa de cinturão do peso-pena (66 kg), no duelo principal do UFC 250. E para esse confronto, além dos treinos específicos visando duelo, a brasileira sempre teve ao seu lado o preparador físico Everton Oliveira, que garante que a campeã, mesmo sem lutar na categoria desde dezembro de 2018, não terá problemas em se apresentar em alto nível com esse peso.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o profissional da American Top Team destacou o feito que a brasileira pode alcançar no evento. Caso conquiste mais essa vitória, Amanda vai atingir uma marca histórica dentro do Ultimate. Ela será a única lutadora a ter defendido dois cinturões de categorias diferentes, já que ela também é campeã do peso-galo (61 kg), de forma simultânea. E a julgar pelas declarações de Everton, a 'Leoa', apesar de ter status de estrela dentro da franquia, ainda tem fome para quebrar mais recordes.

"O que nos supreende na Amanda é que ela continua motivada a se superar, a defender o que é dela. Ela se renova a cada camp, não se acomoda em momento algum e busca sempre a evolução. E vendo isso, motiva toda a equipe. Encaro isso de maneira positiva demais. Pra toda luta ela se reinventa, se motiva a continuar fazendo história. Cada oponente, na visão dela, é o mais difícil que já enfrentou. É tudo novo e um desafio diferente. Ela está muito motivada, 100% treinada e vem trabalhando tudo que na hora vai aplicar", finalizou.

Everton Oliveira também miminizou o fato de Amanda ter sentido um leve incômodo no tornozelo no início de maio e adiantou que ela trabalhou intensamente e sem restrições para esse compromisso. Questionado sobre a questão do peso, já que nas últimas apresentações a campeã defendeu seu título no peso-galo, o brasileiro admitiu que, por ela não precisar cortar muito peso, o trabalhon foi facilitado.

"Todo esporte, qualquer atleta tem um tipo de lesão, isso acontece regularmente. No MMA pode ter torção ou lesão mais simples e temos que nos adaptar. No caso dela não mudou nada. Não foi nada grave. Ela vem em um ritmo de treino perfeito. Não mudamos nada. O que muda mesmo é a questão quando se aproxima da luta, a preocupação com o corte de peso, mas o planejamento é específico. A tranquilidade que eu tenho que ela não vai precisar fazer um corte agressivo. Isso facilita, mas a estrutura do treino não muda. Tento me basear nos treinos desenvolvendo a força, mas com alguma hora gerando velocidade para no fim concluir e colocar mais potência", disse, antes de fazer questão de elogiar o profissionalismo da 'Leoa'.

"A Amanda vem numa evolução profissional muito grande. Ela se conhece e gerencia isso muito bem. Ela não subiu de peso, só tenta se manter um pouco acima. O corte não vai ser agressivo, então isso nos deixa tranquilos. Quando é agressivo, acaba tendo influência. Mas ela se mantém leve e o corte vai ser sem problemas", concluiu o preparador físico da American Top Team.

Amanda Nunes não luta na categoria peso-pena desde dezembro de 2018, quando nocauteou a até então campeã, Cris 'Cyborg', no primeiro round. Nas duas lutas seguidas, a última em dezembro do ano passado, a brasileira atuou no peso-galo. Sua última vítima foi Germaine De Randamie, no UFC 245.

Esporte