PUBLICIDADE
Topo

MMA


Treinador brasileiro lamenta saída de Colby Covington da ATT

Carlos Antunes, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

01/06/2020 17h56

Na última semana, Colby Covington anunciou que vai deixar a American Top Team, após praticamente oito anos de equipe. O americano enumerou desafetos dentro do time, como Jorge Masvidal, Dustin Poirier e Joanna Jedrzejczyk. Dessa maneira, o clima do ex-campeão interino dos meio-médios (77 kg) estava pesado e ele preferiu dar um novo rumo para a sua carreira. Treinador de boxe do lutador, o brasileiro Gabriel de Oliveira lamentou essa decisão, mas entendeu no ponto de vista da ATT e do atleta.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, Gabriel, que tem acompanhado Colby nos seus últimos camps, admitiu que essa posição de ruptura já era esperada, principalmente pelo clima hostil existente entre Colby e demais atletas da American Top Team. No entanto, o brasileiro fez questão de elogiar o profissionalismo do americano e a boa relação que possuía com ele.

"Não me surpreendi não (com a decisão de sair), porque o clima estava um pouco complicado entre ele e os membros da equipe. Essa decisão foi tomada pelo Colby com o Conan (Silveira) e o Dan Lambert, o pessoal das cabeças. Como treinador dele, fiquei chateado. Sempre tive um bom relacionamento com ele. Ele comigo sempre foi 100%, um cara fantástico, nota dez. Sempre me tratou bem, sempre falava de mim nas entrevistas, dava moral, gostava do meu trabalho. Ele gostou do trampo e reconhecia isso", contou, antes de adiantar que essa postura de deixar o time foi em comum acordo e pelo bem da ATT.

"Problemas todos nós temos e, por isso, precisamos saber conviver com as diferenças. Mas eles resolveram fechar essa parceira, que vai ser bom para eles. Então eles acham que assim o ambiente na equipe fica como antes. Todo mundo fica mais tranquilo", completou o treinador de boxe.

Se no início de sua carreira, Jorge Masvidal era considerado um amigo para Colby, agora a realidade era bem distinta. O 'Gamebred' virou o principal desafeto do ex-campeão dos meio-médios e os dois não cansavam de se provocar. Como treinador de Covington, Gabriel disse que viu alguns episódios na academia entre os dois.

"Em duas vezes que eu estava treinando ele, cheguei a testemunhar discussões verbais com o Masvidal. Mas como a ATT é muito grande, eles se xingavam a distância, maior até que essa distância que temos que ficar agora por causa da pandemia. Cada um ficava num canto se xingando", explicou o treinador.

Após oficializar sua saída da ATT, Covington não adiantou onde vai treinar. Com seu jeito falastrão, de costume, ele disse que agora é 'Colby Covington Inc.' e não deu mais detalhes do seu futuro. De acordo com Gabriel, o americano agora vai precisar gastar mais dinheiro para tentar equiparar a estrutura que tinha na ATT e rechaçou a possibilidade de deixar a American Top Team para treinar apenas o atleta. O brasileiro admitiu que poderia conciliar os dois trabalhos, caso recebesse o convite do lutador e a permissão do time.

"Sair de jeito nenhum. Agora que entrei mesmo. Mas se puder fazer algo separado e com a permissão da equipe, pode ser. Mas isso ele teria que me convidar. Mas sair de jeito nenhum. Quero criar minhas raizes aqui. Colby é um potencial campeão, mas sabemos que a carreira dos atletas é finita. Na ATT temos um plantel enorme e não dá para equiparar um trabalho na equipe com outro só com um lutador", finalizou.

Membro da 'ATT' desde o início de sua carreira no MMA, em 2012, Colby Covington chegou a ser campeão interino dos meio-médios (77 kg), em 2014, quando derrotou Rafael Dos Anjos. Porém, perdeu o título por inatividade. Em dezembro de 2019, no UFC 245, o lutador teve a chance de ser campeão da divisão, mas foi superado por Kamaru Usman por nocaute no quinto round.

MMA