PUBLICIDADE
Topo

MMA


Hall da Fama do UFC vai às ruas para pedir paz durante protestos nos EUA

Ag. Fight

01/06/2020 15h36

Jon Jones não foi a única lenda do UFC que tentou utilizar seu prestígio com a população local para tentar acalmar os ânimos durante um dos protestos pela morte de George Floyd, assassinado por um policial que manteve seu joelho sobre o pescoço da vítima, um homem negro suspeito de falsidade ideológica, mesmo sem que ela apresentasse condições de reagir à prisão. Com cenas de vandalismo e violência, de ambas as partes, presentes nas manifestações em várias cidades norte-americanas, Chuck Liddell, assim como 'Bones', foi às ruas tentar diminuir as tensões.

O ex-campeão peso-meio-pesado (93 kg) do UFC foi visto em Huntington Beach, na Califórnia (EUA), no último domingo (31), tentando apaziguar os ânimos dos manifestantes do movimento 'Black Lives Matter' (Vidas Negras Importam, em tradução literal) e dos donos de comércios locais, preocupados com possíveis saques e depredações de suas lojas. À rede 'ABC 7', que divulgou o vídeo de sua participação nas ruas, Liddell concordou com os protestos pela morte de George Floyd, mas ressaltou que destruir as cidades não resolverá o problema, de fato.

"É bom ver as pessoas defendendo sua cidade. Isso é terrível. Violência gera violência. Violência não ajuda ninguém. Todos nós sabemos que o que aconteceu (com George Floyd) foi errado. Todo mundo que eu conheço pensa que isso foi errado. É difícil de assistir", declarou 'The Ice Man', antes de continuar.

"Isso não ajuda (a causa). Destruir cidades, destruir pessoas, machucar pessoas não faz bem para ninguém. Proteste o quanto quiser, apenas o faça de forma pacífica", concluiu.

Membro do Hall da Fama do UFC, Chuck Liddell se junta a Jon Jones no pleito por protestos pacíficos. Mesmo em meio a um imbróglio com o Ultimate, que o fez abandonar o cinturão dos meio-pesados, 'Bones' foi às ruas de Albuquerque, no Novo México (EUA), para impedir e recriminar atos de vandalismo na cidade.

MMA