PUBLICIDADE
Topo

MMA


St-Pierre comemora inclusão no Hall da Fama do UFC: 'Que grande honra'

O canadense Georges St-Pierre entrou para o Hall da Fama do UFC - Mike Stobe/Getty Images
O canadense Georges St-Pierre entrou para o Hall da Fama do UFC Imagem: Mike Stobe/Getty Images

Ag. Fight

12/05/2020 11h58

No último sábado, durante o UFC 249, o Ultimate anunciou mais um membro para o seu Hall da Fama. Trata-se de Georges St-Pierre, ex-campeão do peso-meio-médio (77 kg) e peso-médio (84 kg) da organização. Quem tratou de dar a notícia para o canadense foi o próprio presidente da franquia, Dana White.

Através de uma ligação por vídeo, Dana White admitiu que sua intenção era fazer um anúncio grandioso para colocar 'GSP' no Hall da Fama do Ultimate, por toda história que ele fez na liga. No entanto, por questão da pandemia de coronavírus, ele foi obrigado a mudar os planos.

"Bem, esse anúncio deveria ser muito maior, mas com essa coisa de pandemia, mas você está sendo introduzido no Hall da Fama, meu amigo. (?) É bem merecido. Você já realizou muitas coisas em sua vida. Bem merecido, meu irmão", disse o cartola.

Esse comunicado parece ter pego St-Pierre de surpresa, apesar de seu nome ser sempre colocado como um dos maiores da história do Ultimate, e, por consequência, já merecer uma vaga nesse grupo. O canadense quase ficou sem palavras após receber essa ligação da Dana e agradeceu pela oportunidade de fazer parte deste seleto hall de lutadores.

"Ah, sério? Obrigado! Que honra! Muito obrigado! Obrigado por tudo. Não sei o que dizer, cara. Que grande honra!", comemorou o canadense.

De acordo com o anúncio, o ex-bicampeão do UFC fará parte do grupo 'Era Moderna', que já conta com nomes do calibre de Forrest Griffin, BJ Penn, Urijah Faber, Ronda Rousey, Michael Bisping e Rashad Evans.

Georges St-Pierre conquistou o cinturão dos meio-médios do UFC em 2006, mas logo na sua luta seguinte o perdeu para Matt Serra. No entanto, em 2007 foi campeão interino e, em 2008 unificou seu reinando, o mantendo até 2013, com nove defesas. Após vencer sua última na categoria, diante de Johny Hendricks, decidiu se aposentar do esporte. Seu retorno aconteceu em 2017, mas na divisão dos médios, quando encarou o, até então campeão, Michal Bisping e o superou com uma finalização. Dessa maneira, o lutador entrou para o grupo sete atletas a conquistar cinturões em categorias diferentes na liga.

MMA