PUBLICIDADE
Topo

MMA


'Borrachinha' revela inspiração em Belfort para montar seu próprio time

Paulo Borrachinha comemora após vencer luta contra Oluwale Bamgbose no UFC - Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images
Paulo Borrachinha comemora após vencer luta contra Oluwale Bamgbose no UFC Imagem: Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

19/04/2020 06h00

Cenário comum no mundo do boxe mas ainda uma raridade no MMA, montar seu próprio time para que todos os sparrings, treinadores e médicos trabalhem em função de apenas um atleta parece ser o futuro - talvez distante - para o esporte. E para o peso-médio (84 kg) do UFC 'Paulo 'Borrachinha', essa evolução se fez necessária desde que o modelo surgiu à sua frente por intermédio de uma lenda do esporte.

Convocado por Vitor Belfort para ser seu sparring anos atrás, Borrachinha ajudou o 'Fenômeno' em seu camp realizado na Flórida (EUA). Nesta ocasião, o jovem lutador percebeu que, apesar de usarem a estrutura da academia Blackzilians, Vitor contava com seu próprio time de treinadores e sparrings, o que resultava em mais atenção e dedicação para a evolução de seu desempenho.

"Já tive lesão por falta de sincronia. Por exemplo, ia fazer preparação física e o cara arrancava meu coro, fazia muita força e depois vinha para o treino de boxe e era muita porrada e saco de pancada. Isso atrapalhava, tinha muitas lesões. Aconteceu muitos anos atrás, percebi que tinha que ter uma equipe. O Vitor (Belfort) fazia isso, mesmo na Blackzilians na época, ele já tinha uma equipe assim. Percebi que é a evolução do esporte. É um novo estágio", revelou durante conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Desde então, Borrachinha não deixou de investir nos seus treinos e em intercâmbios. Parte de seu camp costuma ser feito em Phoenix (EUA), onde desenvolve suas habilidades no wrestling antes de finalizar as sessões de treinos em Contagem (MG). Lá, em sua cidade natal, a academia do irmão serve como sede do time.

"Belfort foi um grande atleta. Serviu de exemplo, a aitude dele de montar um camp para ele. Deu para ver que era o caminho a se seguir com a evolução do esporte. Hoje vejo muitos fazendo isso. Talvez não gostem de dissociar seu nome para não enfraquecer o time. De verdade, acho que a equipe está fadada a acabar. Ao menos, grandes nomes farão isso. McGregor jaz faz, o Ferguson já faz. O Khabib treina na AKA, mas com certeza faz seu treino espeficio", narrou.

Com a mudança, os resultados não demoraram a acontecer. Invicto após 13 combates profissionais de MMA, Borrachinha é o próximo da fila para disputar o cinturão dos pesos-médios do UFC, atualmente em poder de ISsrael Adesanya. E apra este combate, o foco total em sua preparação já começou.

"Tenho os treinadores 100% do tempo atentos à minha evolução. Estão sempre corrigindo o que eu faço de errado e aprimorando o que eu faço de bom. Atenção toda voltada e eles conversam entre si. (...) Trazer esses treinadores e eles sentarem entre eles com ciência e estudo, com fisiologista", finalizou.

MMA