PUBLICIDADE
Topo

MMA


UFC: indeciso sobre renovação, Werdum cogita nova luta com Fedor no futuro

Matthew Stockman/Getty Images
Imagem: Matthew Stockman/Getty Images

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA) e Natássia Del Frate, na Califórnia (EUA)

Ag. Fight

04/04/2020 07h00

Após cumprir a suspensão imposta pela USADA (agência antidoping americana) por ter sido flagrado em um exame antidoping em abril de 2018, Fabrício Werdum se prepara para retornar aos octógonos.

[Com duas lutas restando em seu contrato com o UFC e perto de completar 43 anos, o ex-campeão peso-pesado ainda não sabe se chegará a um novo acordo para continuar na organização. Porém, um objetivo traçado para o final de sua carreira pode ajudá-lo a tomar essa decisão.

Em entrevista ao vivo à reportagem da Ag. Fight (veja abaixo ou clique aqui), o faixa-preta revelou que gostaria de enfrentar Fedor Emelianenko novamente, quando não mais fizesse parte do plantel de atletas do UFC.

Em junho de 2010, pelo extinto evento Strikeforce, Werdum precisou de pouco mais de um minuto de luta para finalizar o russo com uma chave de braço partindo do triângulo, no que se tornaria uma das vitórias mais expressivas de sua laureada carreira. De acordo com o veterano, um novo combate contra 'The Last Emperor' provocaria um alvoroço na comunidade das lutas.

"Ainda não sei (se pretendo renovar), estou bem indeciso. Não sei se o UFC vai querer renovar, sabendo que eu estou com 42 anos agora. Então, eu estou naquela coisa, vamos fazer essa luta, fazer a outra, vamos conversar com o Ali para ver se eu renovo ou vou para outro evento. Eu tenho uma meta na minha carreira de fazer uma luta contra o Fedor lá no futuro, lá para frente, quando eu não tivesse mais no UFC. Uma revanche contra o Fedor eu acho que chamaria bastante atenção", declarou Werdum.

Escalado para encarar Alexey Oleynik no UFC 250, marcado para o dia 9 de maio, em São Paulo (SP), Fabrício Werdum se prepara para retornar aos octógonos após suspensão por doping, enquanto aguarda a confirmação do evento, sob risco em razão da pandemia do novo coronavírus que já obrigou a organização a cancelar três edições recentemente.

Ex-campeão dos pesos-pesados, o brasileiro soma 23 vitórias, oito derrotas e um empate em seu cartel. Por sua vez, Fedor Emelianenko segue em atividade após abandonar a aposentadoria em 2015.

O ex-detentor do cinturão peso-pesado do Pride atualmente tem contrato com o Bellator e fez sua última apresentação em dezembro do ano passado, ao superar Quinton 'Rampage' Jackson por nocaute técnico na edição 237 da entidade.

MMA