PUBLICIDADE
Topo

MMA


Poirier critica a manutenção de shows do UFC: "Não tem como se preparar"

Ag. Fight

02/04/2020 11h54

O ex-campeão interino do peso-leve (70 kg), Dustin Poirier é mais um atleta que, em contraste com a vontade de outros lutadores e com a insistência de Dana White sobre os eventos do Ultimate em meio à pandemia global do novo coronavírus, posiciona-se contrário à tal manutenção dos shows. Por isso, o peso-leve não apoia a realização do confronto contra o neozelandês Dan Hooker, no próximo dia 16 de maio, em San Diego, cidade da Califórnia (EUA). Assim, mesmo que isso signifique ficar mais tempo longe dos octógonos, uma vez que já está afastado a quase sete meses, o americano demonstra os porquês de seu posicionamento.

Em entrevista ao site da 'ESPN' americana, o atleta de 31 anos revelou as razões pelas quais se opõe a realização de mais shows do Ultimate e não acredita que sua luta acontecerá. Após três eventos cancelados dos dias 21, 28 de março e 11 de abril como medida preventiva contra a disseminação do COVID-19, a organização não desiste de manter em pé as outras noites deste mês e de maio. No entanto, a pandemia se torna cada vez mais preocupante, além de os Estados Unidos, onde seria o evento de Poirier, serem uns dos locais mais afetados com mais de 163 mil casos.

"Honestamente, não tem como se preparar devidamente", destacou o lutador. "Tenho minha própria academia aqui em Lousiana, posso socar sacos e tenho dois amigos com quem eu treino lá. (...) Então, eu consigo correr ou coisa do tipo, posso ficar em forma, mas não para estar preparado para uma luta de alto nível, não consigo.

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, prorrogou a quarentena até dia 30 de abril no país. Porém, Poirier, além de ter um espaço próprio, é um lutador do 'American Top Team' e, por isso, ainda teria a possibilidade de continuar a se preparar na academia do grupo na Flórida (EUA), que mantém os treinos a partir da adoção de algumas medidas preventivas. No entanto, não são todos os atletas que tem esse privilégio, em meio à quarentena, ou dispõem dos equipamentos necessários.

"Não sei o que meu oponente (Hooker) está fazendo também. Não sei se ele está conseguindo treinar. Então, (o evento de) maio parece estar sendo empurrado, mas vamos ver", definiu. "Sem desrespeito a Dan Hooker, mas caras como ele estão por aí. Oportunidades como essa vão sempre estar aí, pelo resto da minha carreira, para lutar com bons caras promissores que estão em uma série de lutas divertidas. Isso sempre estará por aí. Só quero estar 100% preparado, só isso. Gosto da luta e estou com a luta, mas só quero estar preparado".

Apesar das críticas de Poirier, ele se prepara para o possível embate em um mês e meio, além de declarar que toparia participar do UFC 249 após a saída do campeão Khabib Nurmagomedov. No entanto, se ocorrer o evento de 16 de maio, a possibilidade de mudança de local é bem provável. Para conter o novo coronavírus, vários governos e comissões atléticas impuseram restrições de aglomerações. Isso se justifica uma vez que a pandemia já atingiu cerca de 823 mil pessoas, de acordo com o último relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde), além de levar à morte mais de 40 mil doentes.

MMA