PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Aldo admite que Flamengo o fez "fugir" de treinos: "Relaxou a minha cabeça"

José Aldo enfrenta Marlon Moraes no UFC 245 - Thiago Ribeiro/AGIF
José Aldo enfrenta Marlon Moraes no UFC 245 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

13/12/2019 06h00

O período de "camp" para um combate é um momento bastante delicado para todo lutador. Se privar de horas de lazer e focar somente no próximo adversário pode alterar o humor de muitos atletas. O caso de José Aldo ainda era mais específico, pois está lidando com um grande corte de peso para sua estreia no peso-galo (61 kg), amanhã, contra Marlon Moraes.

Porém, o ex-campeão dos penas (66 kg) revelou, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, que uma paixão o tirou da academia e foi essencial para renovar suas energias: o Flamengo.

Torcedor apaixonado pelo clube carioca, Aldo não pensou duas vezes em viajar para Lima, no Peru, onde acompanhou de perto a decisão da Libertadores, que aconteceu no fim de novembro, contra o River Plate. Essa "fuga" dos treinamentos, somado ao título do 'Rubro-negro', o ajudou a voltar ainda mais motivado.

"Interrompi (os treinos), lógico. Final do Flamengo, sou torcedor fanático, tive que ir lá. Fui num dia e voltei no mesmo. Ali faz parte. Eu como um fã, não podia deixar de estar presente. Segunda já estava treinando normalmente. Até me ajudou, porque fugi um pouco da luta e relaxou a minha cabeça", afirmou o lutador, emendando que está na torcida pelo título do Mundial de Clubes, que começa para o Flamengo na próxima terça-feira (17).

"Pensamento positivo lá em cima. Confio bastante no Jorge Jesus e que vamos ser campeões", completou.

A questão do corte de peso é um tema recorrente nas últimas entrevistas de Aldo. Com um casaco e cobrindo até boa parte da sua cabeça, o brasileiro revelou que o processo para chegar até 61 kg está dentro do planejado. O atleta tupiniquim adiantou que já trata o duelo contra Marlon como valendo o título e um novo marco na carreira.

"Está tudo perfeito, graças a Deus. Está tudo como a gente imaginou. Da melhor maneira. Amanhã [sexta-feira, 13] vou subir na balança [na pesagem oficial do UFC 245] e tudo mundo vai ver. (...) Sábado serei o campeão mundial. Só por isso. Dali começa a minha trajetória, minha nova vida", afirmou o lutador da equipe 'Nova União'.

Após reinar por mais de quatro anos no peso-pena, Aldo não descarta um retorno à categoria, porém mantém seu foco no novo desafio que terá pela frente. Segundo o brasileiro, ele já tem sua meta traçada para 2020.

"Primeiramente eu tenho que dar um passo de cada vez. Meu passo agora é no peso-galo, tenho que pensar no Marlinho, vencer ele, aí ninguém me segura. (...) Esse ano eu fiz duas, estou indo para a terceira. Então ano que vem a ideia é mais três. Todas no 61 kg. Ano que vem serei campeão", completou.

O duelo contra Marlon Moraes, ex-desafiante ao cinturão peso-galo do UFC e número um no ranking da categoria, pode colocar José Aldo muito próximo de uma oportunidade de disputar o cinturão até 61 kg. O título da divisão está atualmente em poder do americano Henry Cejudo, que também é o campeão peso-mosca (57 kg) do Ultimate.

MMA