Topo

MMA


Gina Carano culpa Dana White por fracasso nas negociações com Ronda Rousey

A atriz e lutadora Gina Carano - Getty Images
A atriz e lutadora Gina Carano Imagem: Getty Images

Ag. Fight

26/11/2019 13h49

Gina Carano foi a primeira grande estrela em termos de popularidade do MMA feminino. Antes mesmo de Ronda Rousey se destacar e virar um dos principais símbolos do esporte, a americana já possuía grande número de admiradores. E, de acordo com ela, um confronto entre as duas esteve perto de acontecer.

Em entrevista à emissora americana 'ESPN', Gina revelou que o UFC ofereceu um milhão de dólares (cerca de R$ 4,2 milhões) para que ela encarasse a então campeã peso-galo (61 kg) Ronda Rousey. A esta altura, Carano já havia se afastado do MMA para focar na carreira de atriz e pediu um prazo para voltar a treinar e se preparar para o desafio.

Após aceitar inicialmente as condições da lutadora, Dana White - presidente do Ultimate - divulgou para a imprensa as negociações em andamento, irritando Carano, que se sentiu pressionada. Porém, a gota d'água para o fim das negociações, segundo Gina, foi quando o dirigente lhe enviou uma mensagem de texto pouco respeitosa.

"Então ele continuou fazendo aquilo (pressionando através da mídia), e eu ainda estava procurando por um time e sentindo toda aquela pressão, e aí ele me enviou uma mensagem de texto dizendo: 'Essa v*** está f*** a gente'. Algo assim. E eu mandei uma mensagem de volta: 'Eu acho que você enviou isso para a pessoa errada'. E ele disse: 'Eu acho que não'. Essa foi a última conversa que eu tive com ele por mensagem de texto", contou Gina, antes de completar.

"Porque eu não acho que esse era o tipo de ambiente que eu queria voltar. Cortei toda a comunicação depois dessa mensagem. (...) Eu não tenho um problema com autoridade, apenas tenho problema com abuso de autoridade, e isso é a minha parada. Então, esse foi o fim da conversa (com o UFC)", concluiu.

Gina Carano lutou pela última vez em agosto de 2009, quando foi nocauteada pela brasileira Cris 'Cyborg', em luta válida pelo cinturão inaugural do peso-pena (66 kg) feminino do Strikeforce. Desde então, a americana tem se dedicado a carreira como atriz, mesma opção feita por Ronda Rousey anos depois.

MMA