Topo

MMA


Jéssica 'Bate-Estaca' revela que críticas interferiram em luta contra Zhang

Weili Zhang vence luta contra Jessica Andrade  - Brandon Magnus/Zuffa LLC/Zuffa LLC
Weili Zhang vence luta contra Jessica Andrade Imagem: Brandon Magnus/Zuffa LLC/Zuffa LLC

Marcel Alcântara e Neri Fung, em São Paulo (SP)

Ag. Fight

15/11/2019 09h00

No Ultimate desde 2013, Jéssica 'Bate-Estaca' coroou sua trajetória na companhia em maio deste ano, quando nocauteou Rose Namajunas e se sagrou campeã peso-palha (52 kg) da liga. No entanto, três meses depois, em sua primeira defesa de cinturão, no UFC China, a brasileira foi surpreendida e derrotada em apenas 42 segundos por Weili Zhang. E, em entrevista exclusiva à equipe de reportagem da Ag Fight durante o lançamento da plataforma de streaming 'UFC Docs', na última quarta-feira (13), a atleta da 'Parana Vale Tudo' revelou que as críticas dos fãs podem ter interferido em seu mais recente revés.

Jéssica relembrou que, mesmo após se sagrar campeã no UFC Rio, recebia mensagens desmotivadoras por parte dos fãs de MMA que alegavam que a brasileira havia contado com a sorte em sua conquista. E na tentativa de provar que merecia estar no topo de sua divisão, 'Bate-Estaca' admitiu que ignorou sua estratégia contra Zhang, pois queria liquidar a fatura de forma rápida para provar seu valor. No entanto, o desfecho foi justamente o contrário do que a paranaense esperava.

"No começo foi muito decepcionante, porque querendo ou não, você entra lá dentro para provar que mereceu aquilo ali. Depois de eu ter vencido (a Rose) e conquistado o cinturão tiveram tantos comentários do tipo: 'Ah, foi sorte'. Chega na hora, a gente pensa que não atrapalha, mas foi uma coisa que influenciou muito para que eu tivesse essa vontade de acabar a luta logo e mostrar realmente para todo mundo que eu era a campeã e que merecia estar ali, que não foi sorte. Acabou que nesse ímpeto eu perdi o cinturão. Então é algo que aprendi com essa derrota, não ligar muito para o que as pessoas pensam, apenas confiar na própria capacidade", destacou Jéssica, antes de falar sobre os erros cometidos no confronto contra a chinesa.

"Lutei muito diferente do que treinei. Aprendi que tenho que ter mais paciência e também confiar no que eu apendi e no meu trabalho. Durante a luta, na hora que eu acertei a mão e vi que ela sentiu, eu quis acabar logo ali a luta para voltar para casa, acho que esse foi o meu erro. Mas é tudo aprendizado para que a gente volte cada vez melhor para as próximas lutas", completou a peso-palha.

Após a derrota fulminante, Bate-Estaca usou a experiência negativa para ajustar as brechas em seu jogo. De acordo com a brasileira, o revés para Weili Zhang deu margem para um crescimento em diversas áreas - principalmente na trocação.

"Sim, já mudei muita coisa, questão do muay-thai, o lance de sair um pouco mais dos golpes (das minhas rivais) também. Dar mais golpes em linha, chutar, que era uma coisa que não fazia muito, mudou bastante coisa. E a parte do jiu-jitsu melhora cada vez mais, me graduei faixa-preta, então é uma motivação a mais para melhorar cada vez mais, e isso só agrega para minhas lutas de MMA", garantiu a brasileira.

Ainda sem data marcada para retornar aos octógonos, Jéssica revelou que pretende voltar à ação no primeiro trimestre de 2020. A brasileira afirmou que está de olho em nomes como Michelle Waterson e Carla Esparza como prováveis próximas adversárias, para retornar à coluna das vitórias no Ultimate.

MMA