Topo

Esporte


Covington lamenta não ter encarado Woodley e diz que luta com Usman não é tão grande

Ag. Fight

21/10/2019 13h21

Colby Covington é famoso mais por seus atos e declarações polêmicas - Diego Ribas

Apesar de ter finalmente acertado a disputa contra Kamaru Usman pelo cinturão meio-médio (77 kg) do UFC, Colby Covington não parece estar 100% satisfeito com o rumo tomado em sua carreira. Ao site 'MMA Junkie', o americano lamentou não ter encarado Tyron Woodley pelo título da categoria no passado, em um combate que, segundo ele, teria sido mais importante do que seu próximo confronto contra o lutador nigeriano.

Durante o reinado de Woodley nos meio-médios, Colby o desafiou constantemente em busca de uma chance para disputar o título. E o tão esperado confronto parecia destinado a acontecer quando 'Chaos' conquistou o cinturão interino em junho de 2018, mas uma cirurgia no nariz o afastou do octógono, impossibilitando o duelo. O então campeão defendeu sua cinta mais uma vez contra Darren Till, até ser destronado por Kamaru Usman, que agora encara Covington no dia 14 de dezembro, em Las Vegas (EUA). E apesar de ter colocado todo o seu arsenal de provocações em jogo contra o nigeriano, o falastrão afirmou que a peleja contra o ex-campeão seria mais fácil de vender.

"Não, definitivamente não é uma luta tão grande quanto o combate contra Woodley por causa de toda a promoção que eu coloquei naquela luta. O desafiei por dois anos após todas as lutas, e você sabe que nós tínhamos uma história, costumávamos treinar na American Top Team, ele estava sob o mesmo teto que Dan Lambert, que é meu agente, e tem inúmeras histórias. A animosidade que tínhamos, além da linha política. Ele é um floco de neve liberal, eu sou do time MAGA (lema do conservador Donald Trump, presidente dos Estados Unidos). Então tinham muitos ângulos diferentes a luta com Woodley", declarou Colby.

Ainda de acordo com o polêmico lutador, ele é o principal atrativo pelo qual as pessoas vão assistir a luta principal do UFC 245, marcado para o dia 14 de dezembro. Para Covington, o público não se importa com o campeão Usman, a quem considera um lutador entediante.

"Essa luta com 'Marty Fake Newsman' (como Covington se refere a Kamaru Usman) não tem muitos ângulos. Ele é um lutador chato, ninguém liga para ele. A única razão pela qual as pessoas vão sintonizar no dia 14 de dezembro é porque elas querem me ver vencer ou elas querem me ver sendo nocauteado. Mas a única razão para eles assistirem é para me ver, eles não se importam com ele. Então, é uma m*** que eu não tive a luta com Woodley, mas é o que é",  concluiu o falastrão.

Em 16 combates, Covington sofreu apenas uma derrota, para Warlley Alves em dezembro de 2015. O americano vem em uma sequência de sete triunfos consecutivos pelo UFC. Mesmo cartel de Kamaru Usman, seu adversário na disputa pelo título meio-médio da organização. O único revés do nigeriano ocorreu em sua segunda luta no MMA profissional, em maio de 2013, quando foi finalizado por Jose Caceres. No Ultimate desde 2015, o campeão ainda não possui nenhum resultado negativo dentro do octógono.

Esporte