Topo

Esporte


Boxeador britânico homenageia Apollo Creed, vence e canta Aerosmith

Tyson Fury celebra vitória sobre Tom Schwarz - Mike Segar/Reuters
Tyson Fury celebra vitória sobre Tom Schwarz Imagem: Mike Segar/Reuters

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

16/06/2019 01h41

Um dos grandes nomes do boxe mundial da atualidade, o peso-pesado inglês Tyson Fury fez sua estreia nos ringues de Las Vegas (EUA) neste sábado (15) e sequer tomou conhecimento do rival alemão Tom Schwarz. Antes mesmo do final do segundo round, Fury nocauteou o rival e ampliou sua invencibilidade no pugilismo profissional para 29 apresentações, o que lhe garantiu tempo de sobra para roubar a cena e cantar um clássico do rock americano ainda no ringue.

Empolgado com o resultado e ciente do holofotes em torno de si, Fury nem tirou as luvas para dominar o microfone e cantar em alto e bom som a música 'I Don't Wanna Miss a Thing' da banda Aerosmith, hit dedicado para a namorada, que à essa altura já fazia parte da multidão que tomava conta do ringue montado no ginásio do Hotel Cassino MGM.

Esse não foi o único momento inusitado de Fury na noite. Antes mesmo da luta começar, ele já havia inovado ao entrar no MGM Grand Garden Arena de cartola, roupão e bermuda com as cores da bandeira dos Estados Unidos - uma referência ao personagem Apollo Creed, que ficou famoso no cinema na saga "Rocky".

MIKE SEGAR/REUTERS
Imagem: MIKE SEGAR/REUTERS

Com o resultado, o inglês de 30 anos agora aguarda a definição da esperada revanche com Deontay Wilder, rival campeão do Conselho Mundial de Boxe (WBC) com quem empatou em dezembro passado e com quem dividi o status de lutadores invictos. No entanto, a disputa pode demorar.

"Falei com o Bob (Arum, promotor da Top Rank) e voltarei a lutar em setembro ou outubro e no ano que vem pegarei o Deontay e o meu cinturão", bradou, diante dos aplausos da torcida local, que se rendeu ao carisma do ex-campeão que migrou em definitivo para as competições realizadas em solo norte-americano. E seu cartão de visita em Las Vegas foi o melhor possível.

A luta

Mais alto e dono de envergadura de dar inveja à divisão dos pesos-pesados, Fury não se preocupou em deixar o oponente alemão dominar o centro do ringue. Conforme era perseguido, o britânico trabalhava com precisão seus jabs (foram 35 no primeiro assalto), que atordoaram Schwarz e lhe garantiram a vantagem inicial na papeleta dos jurados.

Na etapa seguinte, a estratégia se repetiu, mas com uma mudança importante. Fury trocou de base e, trabalhando como canhoto, lançou jabs ainda mais fortes que rapidamente abriram um corte no nariz do adversário. Ao perceber que o caminho para o triunfo estava aberto, o ex-campeão da WBC jogou o rival alemão nas cordas e trabalhou combinação de cruzados para alcançar um knockdown.

Schwarz foi salvo pelo árbitro e levantou quando a contagem estava em oito segundos. Mas, ao sinalizar que estava bem para retornar à disputa, ele apenas esperou o momento da próxima sequência de golpes do britânico que, embora não o tenham levado à lona, obrigaram o árbitro a interromper a disputa.

Esporte