Topo

MMA


Lutador diz que levou 2 meses para perceber que havia sido demitido do UFC

Ag. Fight

30/04/2019 22h59

No fim de 2018, Brandon Moreno não competia pelo UFC desde maio, quando foi superado por Alexandre Pantoja. Apesar disso, o peso-mosca (57 kg) mexicano ainda aguardava ser escalado em um novo desafio no Ultimate. E só em janeiro deste ano ele descobriu que estava cortado da maior organização de MMA do planeta havia dois meses.

Em entrevista ao site 'MMA Fighting', Moreno revelou que a sua expectativa era competir na divisão dos galos (61 kg), já que o UFC estaria em processo de encerramento dos pesos-moscas. No entanto, ao sugerir tal possibilidade a Sean Shelby - responsável por agendar as lutas do UFC -, soube que a categoria não teria mais espaço para novos lutadores.

"Aparentemente eu estava cortado há um tempo atrás, em torno de novembro, dezembro. Eu tinha sido removido do ranking, e eu estava questionando: 'O que está acontecendo?' E eu não sei se eu não obtive todas as informações, mas eu pensei que ainda estivesse na empresa e que talvez eles iriam encontrar algum espaço para mim na categoria de cima, mas não", relatou Moreno, antes de explicar por que demorou tanto tempo para ter certeza de que estava fora.

"Estávamos em contato com Sean Shelby, o matchmaker, para ver se eu poderia lutar ou não (nos galos). O que me foi dito era que a divisão estava cheia, (...) mas pensei que talvez eu estivesse em alguma lista de espera. Só que nunca foi o caso, eu não estava em qualquer lista de espera, fui cortado", completou.

Aos 25 anos, Moreno foi integrado ao quadro de lutadores do Ultimate em outubro de 2016. Desde então, o mexicano venceu os seus três primeiros duelos na organização, mas perdeu os dois últimos - o que pode ter sido derradeiro para o seu afastamento do Ultimate. Ao longo da carreira profissional no MMA, ele soma 14 triunfos e cinco reveses.

MMA