PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sem escolher adversário, Glover revela como aceitou luta com Roberson: "Nem olhei"

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

19/01/2019 10h00

Glover Teixeira perdeu o adversário contra quem lutaria no UFC Brooklyn só uma semana antes do duelo. O pouco tempo disponível até o evento, que ocorrerá neste sábado (19), naturalmente dificultaria a missão do Ultimate de achar um novo oponente. Mas o brasileiro descomplicou as coisas. Conforme relatou à Ag. Fight, Glover aceitou enfrentar Karl Roberson sem "nem olhar" nada sobre o adversário. Só depois de topar o confronto é que foi estudar o casamento de estilos entre os dois.

O meio-pesado (93 kg) mineiro explicou como foi o rápido processo de definição sobre o seu novo rival. Bem-humorado, Teixeira contou que estava ansioso para lutar, de modo que não colocou objeções aos esforços do Ultimate em achar alguém disposto ao combate.

"Eu já estava querendo um adversário. O Cutelaba saiu na última semana e eu estava procurando adversário. Estava pedindo: 'Acha alguém para mim. Estou querendo bater em alguém'. Aí arrumaram esse cara aí, e eu nem olhei, só falei: 'Claro'. Porque o Joinha (empresário Jorge Guimarães) pergunta, né? 'Tem um cara aqui que arrumaram', e eu: 'Bora!'. Se meus empresários falarem que sim, eu não vou falar que não", disse.

Questionado sobre os eventuais prejuízos que sofreria caso o seu compromisso fosse cancelado, uma vez que gastou com toda a preparação para o duelo, Glover afirmou que a frustração seria ainda maior do que os custos que teve. Até por isso, não hesitou em aceitar o confronto com Karl, que, embora tenha chegado ao UFC como meio-pesado,  vem atuando como peso-médio (84 kg).

"Aqui a gente ainda está mais perto de casa. Mas é sempre um prejuízo. Você faz o camp todo, gasta uma grana, faz o trabalho todo e na hora de pegar o pagamento, o cara não vem. É você escrever o livro e não vender", comentou.

Como Roberson não tinha compromisso marcado até uma semana atrás, não é absolutamente improvável que o americano entre no cage na base do 'tudo ou nada' - até porque vencer um ex-desafiante ao título fatalmente melhoraria seu status dentro do Ultimate. Glover, entretanto, diz que, se o adversário não tomar muito cuidado, vai levar a pior.

"Estou esperando tudo. Estou preparado para tudo. Me preparei bastante para o Ion Cutelaba, que é um cara que vem bem agressivo. Então, se ele vier (com tudo), o problema é dele", disse.

Roberson tem apenas uma derrota na carreira, contra Cezar 'Mutante', por finalização, no UFC 224, no ano passado. Glover afirmou que não tem como estratégia prévia derrubar Karl, mas que, se a luta mostrar este caminho, não hesitará em buscar a luta de solo. "Se eu tiver a oportunidade de botar para baixo, eu confio bastante no meu jiu jitsu. E, no ground and pound, todo mundo já sabe que é aquela brutalidade", finalizou.

Esporte