PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Recuperado de doença, 'GSP' demonstra interesse em superluta contra Khabib

Ag. Fight

14/12/2018 15h21

Georges St-Pierre está pronto para voltar ao MMA, após superar uma colite ulcerosa. Mas isso não quer dizer que ele de fato irá retornar. Em entrevista ao podcast 'La Sueur', o canadense afirmou que, embora viva o melhor momento físico de sua carreira, não pretende subir no octógono do UFC se não considerar que a possível recompensa valha o esforço. Além disso, 'GSP' sinalizou que um combate contra Khabib Nurmagomedov, atual detentor do cinturão peso-leve (70 kg), pode valer a pena.

O ex-campeão dos meio-médios (77 kg) e dos médios (84 kg) voltou a mencionar seu "legado" como motivação número 1 como profissional. Assim, declarou que não deseja enfrentar um lutador muito mais jovem e em ascensão. Seu objetivo, conforme disse, é encarar um adversário que tenha fama e que possa acrescentar à sua história como lutador.

"Não estou interessado em voltar, enfrentar uma estrela ascendente e destruir esse cara. Não vai me dar nada e eu vou destruir o sonho de uma estrela ascendente. Ambos estaremos perdendo, apenas ganhando mais dinheiro. Se eu voltar, não vai ser necessariamente por mais dinheiro, mas por legado", falou.

"Khabib disse que gostaria de me enfrentar antes da luta contra McGregor. Não me interessou naquele momento. Ele não era famoso, não havia vencido ninguém com um título ou com nome. Agora que ele venceu McGregor, é melhor. Mas eu não sou o cara que desafia as pessoas. Não é a minha personalidade. Sei que as pessoas estão falando sobre esta luta. Entretanto, sei que o UFC não estaria interessado nesta luta em peso-leve. Eles sabem que estou no fim da minha carreira, não tenho mais muitas lutas por vir. Vou voltar por talvez uma, duas, três lutas. Ou talvez nenhuma. Talvez eu não volte e estou bem com isso", ponderou.

De acordo com St-Pierre, não valeria a pena correr os riscos existentes dentro do octógono apenas para ganhar mais dinheiro ou para acrescentar uma vitória ao cartel. Experiente, o canadense lembrou que um ex-campeão como ele poderia estar em um dia ruim no dia da luta e sucumbir diante de um atleta ainda pouco conhecido, ou até mesmo sofrer uma lesão, o que, provavelmente, encerraria a sua carreira em definitivo.

"Eu posso voltar, mas, para dizer a verdade, é cada vez menos tentador para mim. Não acho que eu diria isso em algum dia, mas estou ficando mais velho. Não quero enfrentar um cara jovem que não chegou lá do ponto de vista do legado, que não é um nome. Eu não teria nada a ganhar. Toda vez que entramos no octógono, é um risco. Você pode ter um dia ruim. Estamos sempre a um erro de um nocaute ou uma lesão grave. Então, é sempre um risco e o risco precisa valer a pena", concluiu.

Aos 37 anos, Georges St-Pierre somou apenas duas derrotas - para Matt Hughes e Matt Serra - ao longo da sua carreira como lutador profissional. Apesar disso, o canadense superou ambos os seus algozes em revanches, vitórias que contribuíram para os 26 triunfos que acumulou nas artes marciais mistas.

Esporte