PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em primeira luta após mudança para ATT, Barboza garante: "Sou um lutador melhor"

Fábio Oberlaender, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

13/12/2018 11h41

Edson Barboza voltará ao octógono do UFC no próximo sábado (15), quando enfrentará o neozelandês Dan Hooker, em Milwaukee (EUA). Natural de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, o lutador se mudou para os Estados Unidos em 2009 em busca de se desenvolver ainda mais como atleta profissional. Deste modo, ele alcançou o seu objetivo inicial e assinou contrato com o Ultimate no ano seguinte à chegada ao país. Porém, após as duas últimas derrotas no Ultimate, ele optou por trocar o estado de Nova Jersey pela Flórida, onde passou a treinar na American Top Team, uma das mais renomadas equipes de MMA do mundo.

Em entrevista à reportagem da Ag. Fight, Barboza demonstrou satisfação com a mudança para a cidade de Coconut Creek, na região central da Flórida, onde se encontra a sede da American Top Team. Agora na companhia de campeões do UFC, como Tyron Woodley e Amanda Nunes, ele garante que hoje é um lutador melhor do que aquele que sucumbiu diante de Khabib Nurmagomedov, em dezembro de 2017, e Kevin Lee, em abril último. Apesar disso, Edson ressaltou que a sua essência como atleta continua a mesma.

"Mudou muita coisa, mas no interior continuo o mesmo, aquele cara que sobe lá e entra como se estivesse em uma guerra. E na minha próxima luta não será diferente. Estou muito feliz de ter me mudado para a Flórida e estar treinando na American Top Team. Modificou tudo: academias diferentes, pessoas diferentes, parceiros de treinos diferentes, mas, como eu disse, o interior continua o mesmo. Aprendi muita coisa, é claro. Galera nova aí, sem dúvida alguma hoje sou um melhor lutador, e todos verão isso no sábado", projetou.

No duelo com Hooker, que também é um striker, o peso-leve (70 kg) brasileiro terá a possibilidade de manter o combate de pé, o que não conseguiu contra os seus dois últimos adversários, peritos na luta agarrada. Especialista nos chutes altos e baixos, Edson contou à Ag Fight que procurou melhorar o seu jogo de grappling após as últimas derrotas, mas garantiu: se encontrar a distância ideal, utilizará a sua principal arma.

"É uma coisa que só na hora da luta a gente vê. Se consegue encaixar a distância, e ver se os chutes vão sair. É uma luta de MMA. Todos os caras com quem eu já lutei tentaram me derrubar. Então, acredito que na hora ele vai tentar me derrubar, mas eu estou preparado. De repente eu mesmo posso tentar derrubar, não sei. Mas sei que para onde essa luta for, estou preparado Quando a gente perde, a gente procura ver onde errou e trabalha em cima disso. Trabalhei bastante em cima disso, então vamos ver o que vai acontecer no sábado", concluiu.

Aos 32 anos, Edson Barboza buscará, no próximo final de semana, a 20ª vitória na carreira profissional como lutador de MMA. Além dos atuais 19 triunfos, o carioca somou também seis derrotas em seu cartel. Já Dan Hooker, de 28 anos, contabilizou 17 resultados positivos e sete negativos em sua trajetória nas artes marciais mistas.

Esporte