PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Treinador pede dois triunfos para chamar Woodley de melhor meio-médio da história

Ag. Fight

24/09/2018 12h19

Após a sua última vitória, Tyron Woodley se elegeu como o maior meio-médio (77 kg) de todos os tempos do UFC. No entanto, para o seu treinador Din Thomas, o americano ainda precisa de dois triunfos para tomar o posto que, para ele, hoje pertence a Georges St-Pierre. Como o canadense já declarou que não possui interesse no duelo contra 'T-Wood', o técnico da academia American Top Team elencou quais lutadores poderiam levar o seu atleta ao topo da história da divisão: Colby Covington e Kamaru Usman.

Em entrevista ao site 'MMA Fighting', o técnico da American Top Team justificou quais os motivos para colocar o americano em segundo lugar no hipotético ranking de melhores lutadores da história da categoria. Para Thomas, as vitórias de Woodley sobre grandes nomes da divisão, como Carlos Condit, Kelvin Gastelum e Robbie Lawler o levam a tal patamar. Porém, o treinador sugere que o seu atleta ainda precisa consolidar o seu legado ao derrotar Covington, que é o atual campeão interino dos meio-médios, e o nigeriano Usman, que está invicto no UFC, com oito vitórias consecutivas.

"Acho que, a essa altura, vou ter que dizer que é o segundo . Acho que seu currículo fala por si só. Quando você pensa nos caras que ele já venceu, como Carlos Condit, Kelvin Gastelum e Robbie Lawler... Ele derrotou todos esses caras. Mas acho que mais algumas defesas de título irão solidificar sua posição", ressaltou.

"É tudo o que ele precisa. Uma vitória sobre Colby, que, para mim, é um adversário fácil, mas ele precisa disso para poder ter mais defesas de título no currículo, e talvez até Usman. Se ele derrotar esses dois, então ele será o melhor de todos os tempos", completou o treinador.

Aos 36 anos, Tyron Woodley conquistou o cinturão do UFC em julho de 2016, após vitória sobre Robbie Lawler. O americano, que já defendeu o título com sucesso em quatro oportunidades, estava cogitado para enfrentar Covington em novembro, no evento que será realizado em Nova York (EUA). Entretanto, ele terá que operar uma lesão decorrente de seu último duelo, contra Darren Till, e ficará fora de atividade por um período de dois a três meses.

Esporte