PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sem plateia, Conor se esforça para tirar Khabib do sério em coletiva monótona

Ag. Fight

20/09/2018 19h35

Rei das coletivas de imprensa, Conor McGregor sempre se apoiou em dois pilares para protagonizar seus shows. O calor da torcida, que vibra a cada uma de suas inusitadas provocações, e o nervosismo de seus oponentes, que em via de regra costumam perder a cabeça. Por isso, sem a presença de fãs permitida pela organização do UFC e com a frieza de Khabib Nurmagomedov comprovada a ferro e fogo, a coletiva realizada nesta quinta-feira (20), em Nova York (EUA), foi monótona.

Provocador, Conor não economizou nas ofensas. "Rato", "lagarto", "covarde" foram alguns dos adjetivos proferidos por vezes com a presença de Dana White, que o impedia de cruzar o palco e se aproximar do oponente, atual campeão dos pesos-leves (70 kg). "Ele era um fãzinho meu. Comprou camiseta com o meu nome", ironizou, sem receber a negativa do russo. Nada disso, porém, pareceu incomodar Khabib, que insistia em perseguir um espaço para falar entre os tradicionais gritos e encenações do futuro oponente.

Principal tema abordado pelos atletas, o ataque ao ônibus do UFC realizado por Conor em abril, que lhe rendeu uma noite na cadeia, foi abordado por ambos os lutadores. Na sua versão, Nurmegomedov acusou o rival de covardia ao aparecer no estacionamento do ginásio Barclays Center acompanhados de dezenas de amigos para confrontá-lo por um problema pessoal.

No entanto, o irlandês questionou repetidas vezes pela postura do campeão, que não saiu do ônibus mesmo após ser convocado diversas vezes para o duelo. "Agradeço a Deus por isso. Se ele saísse do ônibus hoje ele estaria morto em um caixão e eu estaria preso", ironizou.

Em certo momento da coletiva, quando os ânimos pareciam prestes a serem acalmados, McGregor apresentou duas garrafas de sua marca de uísque e inclusive tomou duas pequenas doses, uma delas acompanhada de Dana White, presidente do evento que parecia desconcertado em algumas ocasiões.

O restante do encontro contou com o irlandês prometendo nocautear "talvez no primeiro round", enquanto um racional Khabib ainda insistia na cronologia da desavença entre eles. "Porquê você não perguntou ao seu amigo porque ele levou um tapa?", indagou, se referindo à confusão protagonizada por ele com Artem Lobov, parceiro de time de Conor com o qual discutiu um dia antes do ataque ao ônibus.

Por fim, em claro sinal de prevenção de danos, o UFC não apenas não permitiu a entrada de torcedores como também convocou policiais para o aguardado momento da encarada. Nela, os atletas não protagonizaram nenhum ato de agressão, embora o desafiante tenha mantido a postura ofensiva e tagarela diante do calado campeão.

O confronto entre eles será realizado no dia 6 de outubro, no ginásio T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA). Na semana deste show, no entanto, a presença de fãs deve ser permitida na coletiva de imprensa, o que deve tornar o clima mais inflamável.

Esporte