PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Warlley Alves promete "enfiar mão na cara" de Colby para vingar brasileiros

Warlley Alves durante luta no UFC - Heuler Andrey/UOL
Warlley Alves durante luta no UFC Imagem: Heuler Andrey/UOL

Ag. Fight

31/10/2017 06h00

Colby Covington veio ao Brasil para fazer a penúltima luta do UFC São Paulo no último sábado (28), e, além de derrotar Demian Maia por decisão unânime dos juízes laterais, fez inimizades com o povo brasileiro e alguns lutadores. Logo depois de deixar o octógono, o americano já havia sido ameaçado por Lyoto Machida, mas agora chegou a vez de receber um desafio de Warlley Alves, autor de sua única derrota como profissional de MMA.

O vencedor do programa "The Ultimate Fighter Brasil 3" postou um vídeo em sua conta oficial do Instagram e garantiu que vai nocautear o americano. Na legenda da publicação, o brasileiro transcreveu e traduziu todo o seu desafio em inglês para, assim, se certificar que Covignton entenderia o recado.

"Bom dia senhores, tudo bem? Estou aqui para mandar um recado para o Colby Covington, ele veio aqui no meu país, falou um monte de besteira, xingando os brasileiros, xingando o Brasil. Rapaz, se sua mãe não te ensinou educação eu vou te ensinar, a gente vai se encontrar de novo, você não pode entrar na casa dos outros e falar mal dos brasileiros, falar mal de um país", atacou o lutador.

"Sempre visitei o seu país e tenho um respeito enorme pelo presidente Trump e pelas leis do seu país, admiro muito o seu país, agora você vem aqui falar mal do meu país, falar mal dos brasileiros? Você está se esquecendo da vez que a gente se encontrou? Você ficou com a costela doendo, você bateu, a gente vai se encontrar de novo Colby Covington, pode ter certeza disso, e eu vou te bater de novo, como te bati em Vegas. Só que dessa vez vai ser mais rápido, não vai ser na guilhotina não, dessa vez eu vou enfiar a mão na sua cara para aprender a respeitar, respeitar a nação dos outros. O Brasil é meu país, não fale mal dele".

A passagem de Covington pelo Brasil foi tumultuada desde o início. Em entrevistas antes da luta, disse que estava odiando o país. As provocações continuaram na pesagem e durante o evento realizado no ginásio do Ibirapuera. Na entrevista ainda no octógono, o norte-americano chamou o Brasil de “chiqueiro”, o que provocou uma reação na torcida, que arremessou objetos em direção ao lutador.

Para completar, em uma publicação feita através do seu Twitter no dia seguinte, o americano abusou da ironia em um pedido de desculpas ‘fake’ e voltou a se referir aos torcedores que estiveram no UFC São Paulo como “animais imundos". O comportamento do lutador vai gerar uma análise do UFC e causou mal-estar até em sua academia.  

Covington e Warlley Alves se encontraram no octógono em dezembro de 2015, no confronto, Alves encaixou uma guilhotina ainda no primeiro round e obrigou o americano a bater. De todas as 13 lutas realizadas por Covington como profissional, esta foi a única derrota em seu cartel.

MMA