PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após vitória no UFC SP, Lineker se oferece para tapar buraco em show de fim de ano

Felipe Castello Branco e Marcel Alcântara, em São Paulo (SP)

Ag. Fight

30/10/2017 14h46

Após quebrar uma sequência de seis vitórias consecutivas em dezembro passado, quando foi derrotado por TJ Dillashaw, John Lineker voltou a vencer no último sábado (28). O brasileiro superou Marlon Vera no UFC São Paulo e, agora, já está novamente de olho nos primeiros colocados da divisão dos pesos-galos (61 kg).

Durante uma conversa com jornalistas logo após a vitória, Lineker revelou que está acompanhando de perto o desenrolar da luta entre Jimmie Rivera e Dominick Cruz - duelo marcado para o UFC 219, evento que será realizado no próximo dia 30 de dezembro em Las Vegas (EUA) - e deixou claro que, caso um dos dois atletas não possa comparecer ao card, está pronto para tapar esse buraco.

"Estou de olho na luta do Jimmie Rivera contra o Dominick Cruz. Se cair um dos dois, estarei aqui só aguardando", declarou.

Logo após o fim da luta, quando ainda estava no octógono, Lineker pediu desculpas aos fãs presentes no ginásio do Ibirapuera por sua atuação que, na sua avaliação, ficou abaixo do esperado. Na opinião do atleta, os dez meses que ele ficou sem lutar desde o duelo contra Dillashaw afetaram o seu "ritmo de luta".

"Acredito que essa não foi uma das minhas melhores performances. Acho que pelo fato de ter ficado dez meses parado, perdi um pouco do ritmo. Achei que não perderia, mas o ritmo de luta conta muito. Então, cansei um pouco ali no terceiro round. Mas, estou feliz, vitória é vitória", afirmou.

Lineker ainda fez questão de enaltecer o rival que, de acordo com o brasileiro, aceitou lhe enfrentar no Brasil quando outros atletas recusaram o desafio: "Tiro o meu chapéu para o Vera. Lutador incrível, muito duro. Não veio para o Brasil lutar comigo a toa. Alguns recusaram e ele veio, sujeito homem e fez essa grande luta comigo", elogiou.

Ex-campeão do Jungle Fight, Lineker está no UFC desde 2012. Aos 27 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 30 vitórias e oito derrotas.

Esporte