PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Pezão se revolta e companheiros de academia criticam postura de Covington

Ag. Fight

29/10/2017 13h17

Ao que tudo indica, o clima não deve ficar dos mais tranquilos nos próximos dias na American Top Team, academia onde Colby Covington e muitos brasileiros treinam. E tudo por conta da postura do norte-americano após vencer o paulista Demian Maia na segunda luta mais aguardada do UFC São Paulo, disputado na madrugada deste domingo (29).

Apenas poucos momentos após o americano ter sido declarado vencedor por decisão unânime dos juízes laterais, os comentários de Colby - que xingou o Brasil em sua entrevista pós-luta - já repercutiam até mesmo no local onde o atleta treina. Revoltado com a atitude de seu colega de academia, o peso-pesado Antônio 'Pezão' utilizou sua conta no Instagram para desabafar.

"Colby treina na minha equipe, mas foi um FDP (filho da p***) ao falar mal dos brasileiros. Ele treina com brasileiros e respeito é tudo na vida de um ser humano", escreveu o ex-UFC.

Em sua coletiva de imprensa após vencer Rob Font no mesmo UFC São Paulo, Pedro Munhoz, que também treina na ATT, reprovou os comentários de Covington. O brasileiro lembrou que essa não é a melhor forma de se promover dentro de um evento de MMA.

"Infelizmente, ele usa isso como marketing pessoal. A maioria dos treinos dele é com brasileiros. Ele tem que repensar os comentários de fez. Talvez 50% da ATT é feita de brasileiros . Reprovo totalmente quando você respeita uma nação, um ser humano. Reprovo essa atitude", disse Munhoz.

E não foram apenas os brasileiros que ficaram indignados com a postura de Colby Covington. Através de sua conta no Twitter, Will Brooks, outro atleta que faz seus treinos na American Top Team, alertou para a forma desrespeitosa que seu compatriota lidou com o público brasileiro.

"Chamar pessoas de um país de idiotas e que essas pessoas são animais é desrespeitoso. Também poderia ser considerado racista", escreveu.

Em entrevista coletiva após o evento, o vice-presidente do UFC, David Shaw, deixou claro que não aprova as atitudes de Covington e afirmou que o caso será estudado pela organização. O americano teve que deixar o ginásio sob escolta dos seguranças do Ultimate (veja abaixo ou clique aqui).

Esporte