PUBLICIDADE
Topo

Esporte

De 'férias' até fevereiro, Claudinha quer buscar revanche com 'Bate-Estaca'

Claudia Gadelha - Buda Mendes/Getty Images
Claudia Gadelha Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Ag. Fight

27/10/2017 19h07

Após uma sequência de três lutas em apenas dez meses – que terminou com uma derrota para Jéssica Andrade no UFC Japão, evento que foi realizado em setembro passado – Cláudia Gadelha anunciou que vai se afastar do esporte até fevereiro de 2018. E, mesmo com alguns meses pela frente até voltar aos treinos, Claudinha já sabe exatamente o que pretende fazer quando voltar a competir – planos esses que envolvem uma revanche com a compatriota.

Atualmente na 2ª colocação no ranking dos pesos-palhas (52 kg), Claudinha viu a campeã da divisão, Joanna Jedrzejczyk, anunciar que, provavelmente, subirá em um futuro próximo para a nova categoria peso-mosca (57 kg) feminina. E, caso isso realmente aconteça, a brasileira parece não ter dúvidas de que voltará a enfrentar ‘Bate-Estaca’.

“Eu não penso muito em subir de categoria. Talvez para fazer uma luta ou outra, mas a minha categoria é a peso-palha. Acho que se a Joanna subir e eu a Jéssica nos encontramos de novo em um futuro bem próximo. […] Quero voltar forte. Muitos lutadores pedem uma luta mais tranquila para voltar, mas eu gosto de desafios. Sempre pedi para lutar contra as melhores, contra as tops do ranking. Eu que pedi para lutar com a Jéssica, inclusive. Então, quero voltar bem. Com certeza a revanche contra a Jéssica está no radar”, afirmou durante uma conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Derrotada por Jéssica em uma decisão unânime dos juízes, Claudinha revelou que a maratona de lutas em poucos meses desgastou o seu corpo como nunca tinha acontecido antes. Mas, mesmo assim, a brasileira fez questão de deixar claro que não está dando desculpas para o resultado e tratou de enaltecer Bate-Estaca.

“Não era o meu dia. De todas as vezes que entrei no octógono, nunca tinha sentido aquilo antes. Estava me sentindo muito cansada. Perdi o tesão pelo treino no meio do camp. Fiz três lutas em dez meses e não estava afim de lutar. Fui lá, dei tudo o que tinha que dar, mas não consegui lutar. Não estou tirando nenhum mérito da Jéssica, ela é muito forte, muito forte para a categoria e vai dar trabalho para qualquer menina da divisão”, declarou.

Com o período de ‘férias’ até fevereiro já determinado, Claudinha também já tem certeza do quer fazer durante esse tempo. De acordo com a lutadora, ela aproveitará esse descanso para levar seus pais para viajar pelos EUA. E, assim que voltar para o Brasil, poder finalmente se dedicar mais aos treinos.

“Quero voltar a treinar em fevereiro, para lutar lá para maio. Nesse tempo eu vou realizar o sonho de levar meus pais para os EUA pela primeira vez. Eles nunca tiveram a oportunidade de viajar para lugar nenhum porque sempre dedicaram suas vidas para criar a mim e as minhas irmãs. Gosto muito de poder dar esse retorno para eles. Então, vou fazer um tour lá fora com eles e, quando voltar para deixar eles em casa, voltarei a treinar”, contou.

Lutadora profissional de MMA desde 2008, Claudinha foi sofrer o primeiro revés da carreira somente em 2014, quando já estava no Ultimate. Aos 28 anos de idade, a brasileira coleciona na carreira um cartel com 15 vitórias e três derrotas.

Esporte