PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Amanda Nunes afasta mágoas com Dana White: "Ele fala o que quiser"

Amanda Nunes bate peso na pesagem oficial do UFC 213 - Reprodução
Amanda Nunes bate peso na pesagem oficial do UFC 213 Imagem: Reprodução

Ag. Fight

31/08/2017 16h58

Após se retirar do card horas antes do UFC 213, no início de julho, Amanda Nunes foi alvo de críticas e questionamentos não apenas dos fãs, mas também de Dana White, presidente do evento que, surpreso com a mudança em cima da hora, prometeu que a brasileira não seria mais main event da organização. Mas mesmo com as duras palavras, a campeã peso-galo (61 kg) parece ter relevado tudo.

Em sua primeira aparição pública após o caso, durante conversa com jornalistas na sede do UFC em Las Vegas (EUA), Amanda garantiu que deixou para trás qualquer possibilidade de mágoa e afirmou que Dana White, na figura de presidente do show, pode falar o que quiser que não mudará o foco de sua carreira.

"Não fiquei chateada. O que o médico do UFC passou para ele foi quase isso. Voltei para o UFC e fiz exames, e ele descobriu um fluído na parte da minha sinusite crônica. Foi isso que testava preso. Não estava conseguindo, não tinha feito nada para os fluídos saírem. O Dana White falou o que ele pensa, ele é o dono do show, fala o que quiser. Faço meu trabalho. Já remarcaram a luta. É entrar lá e voltar com o cinturão de novo", narrou a atleta.

Com duelo marcado contra Valentina Shevchenko para o próximo dia 9 de setembro, no Canadá, Amanda terá a chance de provar que ela estava pronta para defender seu título contra a rival especialista em muay thai e que o cancelamento da luta foi apenas uma casualidade. E é esse argumento que ainda parece gerar discussão sobre o tema.

"Fiquei doente. Na verdade, já tinha acontecido outras vezes comigo. Na semana da luta com a Ronda consegui com medicamentos corretos… E foi na segunda da semana da luta. Não no dia antes de bater o peso. Dessa vez não consegui controlar, foi no dia do corte de peso. E quando perde peso ficamos fracos. Não estava 100% e decidi não lutar", garantiu a campeã.

A disputa, agora remarcada para o dia 9 de setembro, será a revanche do duelo ocorrido em março de 2016. Na ocasião, a brasileira venceu por pontos após dominar dois rounds e acabar superada na etapa final.

MMA