PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Werdum ironiza acusação de fugir de luta: "Não quero machucar o Hunt"

Matthew Stockman/Getty Images
Imagem: Matthew Stockman/Getty Images

Ag. Fight

22/08/2017 09h00

 

Nem bem Fabrício Werdum foi confirmado para enfrentar Derrick Lewis e seu nome já foi envolvido em polêmica graças ao rival Mark Hunt. Com dificuldades para encontrar adversários de renome, o neozelandês acusou o peso-pesado gaúcho de recusar uma luta, o que rapidamente encontrou uma resposta no discurso do ex-campeão.

Preparando-se para seu próximo desafio, marcado para o dia 7 de outubro, Werdum ironizou as provocações do rival, a quem venceu por nocaute ainda em novembro de 2014 para conquistar o cinturão interino do UFC. Sem perder tempo, o ex-campeão deixou claro que não faria sentido viajar para a Austrália e enfrentar o veterano de 43 anos.

"Vi o que ele falou, mas não quero machucar ele de novo. Estou com uma luta fechada agora, quero lutar antes, dia 7 de outubro e depois dezembro de novo. Austrália é muito longe, não quero ir lá. Tem que ir duas ou três semanas antes para acostumar. As pessoas não entendem que é muito dinheiro, no mínimo 50 mil dólares para ficar com a equipe lá. E não quero machucar o Hunt. Machuquei ele da outra vez, e ele é muito legal para nocautear de novo", rebateu com seu já famoso tom irônico.

Caso consiga fazer mais duas lutas na temporada, Werdum atingirá a marca de três duelos no ano, feito que não se repete em sua carreira desde 2008. Justamente por isso, o atleta de 40 anos garante não ter tempo de sobra para esperar e promete surpreender com seu ritmo de luta daqui para frente.

"Estou cansado de esperar. Nunca gostei de esperar tanto, é muito stress. Se pudesse lutar de três em três meses, eu lutaria. Minha ideia é outubro e dezembro e mais três vezes em 2018. Quero lutar, não quero ficar esperando. Se fosse o Hunt aqui seria bom, nunca neguei luta. O Hunt nunca foi de falar, mas acho que ele quer se recuperar da derrota, não sei. Mas eu tenho que pensar em tudo. Austrália tem outras taxas para pagar, é muito longe, tem que adaptar ao clima… Nem sei porque o Hunt falou disso", questionou.

Derrotado por Alistair Overeem em sua última apresentação, Werdum agora busca encontrar no ritmo de lutas uma chance de voltar a ter seu nome cogitado para disputar o título. Por isso, mesmo enfrentando o sétimo do ranking, o gaúcho precisa se manter ativo para, quem sabe, aproveitar alguma oportunidade que possa aparecer na escassa divisão dos pesados.

"O Lewis é um cara forte, tem muito poder nos socos. Tem chute alto bom, é um cara pesado, não é muito técnico, mas e perigoso. Tem poder de nocaute. Não tenho essa de preferir algo, eu aceito as lutas, quero lutar. Acho que ganho dele na distância, no tempo de luta… Ele cansa muito rápido. Ele bate sempre muito forte, sempre para nocautear, mas as vezes não consegue e isso cansa. Ele é perigoso, mas tenho condições de vencer", finalizou.

MMA