PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Xi Jinping recebe presidente do COI a 10 dias da abertura dos Jogos de Inverno

25/01/2022 11h58

Pequim, 25 Jan 2022 (AFP) - O presidente chinês, Xi Jinping, recebeu o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, nesta terça-feira (25), a 10 dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, informou a agência estatal Xinhua.

Bach chegou no sábado a Pequim e cumpriu um isolamento de três dias. Normalmente os viajantes procedentes do exterior precisam respeitar uma quarentena de várias semanas.

Os Jogos de Pequim acontecerão em uma estrita bolha sanitária. Durante o evento, o presidente chinês receberá diversos líderes mundiais. A reunião com Bach foi a primeira que se tem conhecimento de Xi Jinping com um convidado estrangeiro desde o início da pandemia.

A reunião aconteceu na residência diplomática de Diaoyutai, um parque em Pequim, segundo o canal público CCTV.

A emissora exibiu imagens dos dois homens com máscara no rosto, posando lado a lado, diante de bandeiras da China e do movimento olímpico.

Xi e Bach conversaram em seguida com uma grande distância.

O chinês afirmou que o país organizará "Jogos Olímpicos simples, seguros e esplêndidos" apesar do aumento dos casos de covid na China, informou a CCTV.

Bach também pretende se reunir com a tenista chinesa Peng Shuai.

A atleta publicou uma longa mensagem na internet em novembro, na qual afirmava ter se sentido "forçada" a manter um relacionamento sexual com um ex-vice-primeiro-ministro de seu país.

A mensagem foi apagada e Peng Shuai permaneceu desaparecida por semanas. Em uma videoconferência no final de novembro, Bach conversou com a tenista e ambos combinaram um encontro em Pequim, por ocasião dos Jogos Olímpicos.

O caso Peng Shuai provocou uma mobilização internacional com a hashtag #OndeestáPengShuai?

A China, onde o coronavírus foi detectado pela primeira vez no fim de 2019, praticamente fechou as fronteiras em março de 2020.

Xi Jinping não saiu da China desde janeiro de 2020 e não recebe líderes estrangeiros desde março do mesmo ano, mas participou de várias reuniões internacionais por videoconferência.

Entre os líderes políticos aguardados em Pequim para os Jogos Jogos Olímpicos está o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Vários países ocidentais (especialmente Estados Unidos, Canadá e Reino Unido) anunciaram um boicote diplomático aos Jogos para denunciar as violações dos direitos humanos na China.

Em uma videoconferência nesta terça-feira, Putin disse estar convencido de que os atletas russos "terão sucesso" nos Jogos de Inverno.

"Em nosso país, todos estaremos apoiando-os, para nos orgulharmos de seus sucessos e acreditamos que vocês podem se superar e se apresentar no mais alto nível", afirmou o chefe de Estado russo.

"Somos contra qualquer tentativa de politizar o esporte e contra qualquer boicote", disse ele sobre a questão política.

Moscou também se apresenta como vítima de uma política esportiva contra a Rússia do Ocidente no plano esportivo.

Acusada desde 2015 de ter orquestrado um sistema de doping institucional, a Rússia está suspensa das principais competições internacionais até o final deste ano. Os atletas russos considerados "limpos" de doping podem participar das Olimpíadas de Pequim, mas sob bandeira neutra.

tjx/bar/ehl/pel/dr/fp/mr

Esporte