PUBLICIDADE
Topo

Eliminatórias Europeias

Seleção da Alemanha afasta cinco jogadores após caso de covid

Niklas Süle testou positivo para covid-19 na concentração da seleção alemã - REUTERS/Andreas Gebert
Niklas Süle testou positivo para covid-19 na concentração da seleção alemã Imagem: REUTERS/Andreas Gebert

09/11/2021 10h55

Cinco jogadores da seleção da Alemanha deixaram a concentração da equipe depois que um deles testou positivo para covid-19, conforme informou a conta oficial da federação de futebol alemã (DFB) nesta terça-feira (9).

O zagueiro Niklas Süle, do Bayern de Munique foi diagnosticado com coronavírus, por isso, ele e seus companheiros do Bayern Joshua Kimiich, Serge Gnarby e Jamal Musiala, além de Karim Adeyemi, do RB Salzburg, apesar de terem testado negativo, tiveram que abandonar a concentração para cumprir isolamento.

"Süle está vacinado e é assintomático", declarou Olivier Bierhoff, diretor da DFB. "Essa informação, que chega muito perto do encerramento da classificação para a Copa do Mundo, é amarga", lamentou Oliver Bierhoff.

Nove jogadores no total chegaram à concentração da seleção em Wolfsburg, no mesmo avião que Süle. Quatro deles, cujos nomes não foram divulgados, podem continuar com a equipe, embora devam se isolar por um tempo.

Já classificada para a Copa do Catar, a seleção alemã enfrenta Liechtenstein na quinta-feira (11) e, três dias depois, encara a Armênia pelas Eliminatórias Europeias.

A Alemanha enfrenta um aumento nas infecções por covid-19, com a taxa de incidência de sete dias batendo um novo recorde nesta terça-feira. Na semana passada, o volante Joshua Kimmich, do Bayern de Munique, causou polêmica ao afirmar que não queria ser vacinado por "motivos pessoais". Hoje, Kimmich está entre os cortados pelo caso de covid.

"Reflita mais uma vez e seja vacinado!", pediu o ministro do Interior, Horst Seehofer, em uma entrevista ao jornal Bild. "Você é um modelo a seguir. Se você for vacinado, outras pessoas vão dizer eu também [serei]", acrescentou.

"Não é que eu me oponha à vacinação", disse Kimmich, esclarecendo que tem dúvidas sobre seus efeitos no longo prazo. Ainda assim, não descartou que possa vir a se imunizar no futuro.