PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Real e Barcelona se opõem a acordo de LaLiga de injeção bilionária

05/08/2021 21h08

Madri, 6 Ago 2021 (AFP) - Real Madrid e Barcelona declararam nesta quinta-feira (5) sua oposição ao acordo do Campeonato Espanhol (LaLiga) com um fundo de investimento para a injeção de mais de 3 bilhões de dólares na competição, afirmando que o negócio foi feito sem considerar as opiniões dos dois principais clubes da Espanha.

"Este acordo foi feito sem a participação e o conhecimento do Real Madrid e a LaLiga permitiu pela primeira vez hoje que tenhamos acesso limitado aos termos do acordo", criticou o clube madrilenho em comunicado oficial.

"A negociação tem sido feita sem processo competitivo e as condições econômicas acertadas com o fundo CVC lhe dão uma rentabilidade de mais de 20% ao ano", denunciou o Real Madrid.

O clube merengue garante que "este mesmo fundo oportunista é aquele que tentou, sem sucesso, acordos semelhantes com as ligas italiana e alemã".

Na quarta-feira, a LaLiga anunciou um acordo de princípio pelo qual o fundo de investimento CVC Capital Partners pagaria 2,7 bilhões de euros (3,2 bilhões de dólares), numa operação que permitirá "dotar a LaLiga e os clubes de recursos para continuar a transformação para uma empresa global de entretenimento digital."

Os direitos de televisão não estão incluídos na cessão, esclareceu LaLiga, que em seu último contrato, concedido à empresa Telefónica por três temporadas, de 2019 a 2022, recebeu 3,4 bilhões de euros (4 bilhões de dólares).

No entanto, o Real Madrid acredita que "este acordo, usando uma estrutura enganosa, expropria dos clubes 10,95% dos seus direitos audiovisuais durante 50 anos e vai contra a lei".

"O Real Madrid não pode apoiar uma operação que presenteia aos investidores o futuro de 42 clubes da Primeira e Segunda divisões e o futuro dos clubes que se classificarem nos próximos 50 anos", acrescentou o clube merengue.

Na mesma linha, o Barcelona afirmou que "considera inadequada a assinatura de um contrato de meio século, dadas as incertezas que sempre rodeiam o mundo do futebol". O comunicado, que afirma que as condições do contrato "condenam o futuro do FC Barcelona em termos de direitos audiovisuais", foi emitido pouco depois do anúncio de que o astro argentino Lionel Messi deixará o Barça após mais de vinte anos no clube.

Por sua vez, o Real Madrid conclui sua nota anunciando que reunirá seus membros em assembleia para discutir a questão e "as perdas patrimoniais significativas sem precedentes em nossos 119 anos de história que tal acordo causaria."

gr-rs/iga/am

TELEFONICA

Esporte