PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Arsenal, Liverpool, Tottenham e Manchester United também deixam a Superliga

20/04/2021 20h47

Londres, 20 Abr 2021 (AFP) - Após a desistência do Manchester City, quatro outros clubes ingleses, Liverpool, Manchester United, Tottenham e Arsenal, anunciaram na noite desta terça-feira que também se desligaram do projeto de criação de uma Superliga Europeia, privada e quase fechada, em vários comunicados divulgados por cada clube.

"Depois de ouvir vocês e a grande comunidade do futebol nos últimos dias, estamos saindo da Superliga. Sabemos que cometemos um erro e pedimos desculpas por isso", escreveu o Arsenal em seu comunicado.

Dos seis clubes ingleses que fundaram a Superliga, apenas o Chelsea ainda não se pronunciou oficialmente, embora a imprensa inglesa assegure que também está abandonando o projeto.

Isso deixaria a Superliga seriamente abalada, já que apenas os três times espanhóis (Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid) e três italianos (Juventus, Inter e Milan) permaneceriam no projeto.

O Manchester City foi o primeiro a oficializar a sua saída nesta terça-feira.

"O Manchester City Football Club confirma que iniciou formalmente o processo de retirada do grupo que elabora o plano para uma Superliga Europeia", explicou a entidade em seu comunicado.

Horas depois e ao mesmo tempo, os demais clubes ingleses anunciaram sua desistência do projeto, todos menos o Chelsea, talvez porque os 'Blues' jogaram à noite, empatando em casa com o Brighton (0-0).

"Ouvimos atentamente a reação dos nossos fãs, do governo local e de todos aqueles que mostraram interesse neste assunto", explicou o Manchester United.

"Seguimos comprometidos em trabalhar juntos dentro da comunidade do futebol para encontrar soluções sustentáveis para os desafios de longo prazo que o esporte enfrenta", acrescentou o clube.

Liverpool e Tottenham se manifestaram em termos semelhantes.

O projeto da Superliga teve a oposição de torcedores, de muitos jogadores e de ex-astros da Premier League e do próprio governo britânico.

O primeiro-ministro Boris Johnson havia garantido nesta terça que seu governo "não descarta nenhuma medida" para impedir o projeto da Superliga Europeia, após uma reunião com os líderes do futebol inglês.

E à noite ele aplaudiu a "decisão correta" do City de se retirar. "Espero que os outros clubes que participam da Superliga europeia façam o mesmo", acrescentou Johnson.

hap/mcd/gh/aam

Esporte