PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Parece que sou o vilão do filme com Suárez, diz técnico do Barcelona

26/09/2020 14h55

Barcelona, 26 Set 2020 (AFP) - O atacante Lionel Messi está sendo "um exemplo", apesar da saída de seu amigo Luis Suárez, de quem "parece que sou o vilão do filme", disse neste sábado o técnico do Barcelona, Ronald Koeman, no sábado.

"É normal que um jogador fique um pouco triste quando um amigo seu sai depois de tantos anos de convivência", admitiu Koeman na coletiva de imprensa antes da estreia do Barça no Campeonato Espanhol neste domingo contra o Villarreal, pela terceira rodada da competição.

"Mas, o mais importante para mim é como o Leo tem estado nos treinos e nos jogos. Acho que ele tem sido um exemplo para todos nos treinos, no seu compromisso com o clube e com a equipe. Não tenho dúvidas sobre o Leo neste sentido ", acrescentou o novo treinador da equipe catalã, que não hesitou em falar sobre a saída do uruguaio Luis Suárez.

"Parece que fui o vilão do filme e não é bem assim, porque desde o primeiro dia ou depois da minha conversa com o Luís, mostrei respeito pelo jogador e pela pessoa que é", explicou Koeman.

"Ele treinou ao máximo desde o primeiro dia e eu sempre disse a ele que 'pode ser que você tenha dificuldade em jogar, mas se ficar aqui, você faz parte do time e trabalha como os outros', e eu disse ao clube também", garantiu o holandês.

Koeman explicou que foi uma decisão conjunta do clube e dele próprio, na perspetiva de efetuar mudanças no elenco.

"Dá para perceber que há muitos jovens que vão ter possibilidades, com o Luís nos respeitamos, falamos claramente sobre o seu futuro e no final ele foi para o Atlético (de Madri) e desejo-lhe toda a sorte do mundo", acrescentou o treinador, que desde que assumiu o cargo viu as saídas do brasileiro Arthur, do chileno Arturo Vidal e do croata Ivan Rakitic.

Questionado sobre a possível chegada de reforços, diante das especulações em torno de nomes como Memphis Depay, do Lyon, ou Lautaro Martínez, da Inter de Milão, Koeman considerou que "nada está descartado".

"Penso que um time como o Barcelona está sempre à procura de jogadores para melhorar o grupo e esta temporada é igual às outras", acrescentou, embora tenha dito que se o ataque for ocupado por jogadores como Griezmann, Messi, Ansu Fati ou Dembélé, está "tudo bem".

gr/psr

Esporte